Fotógrafo faz relato emocionante sobre se tornar pai adotivo

Redação - O Estado de S.Paulo

‘Ao invés de pensar as fases que perdemos, eu gosto de imaginar todas as coisas que já conquistamos e o que ainda vamos conquistar’, escreveu

Um fotógrafo catarinense fez relato emocionante no Facebook contando como foi se tornar pai adotivo

Um fotógrafo catarinense fez relato emocionante no Facebook contando como foi se tornar pai adotivo Foto: Jaqueline Festa Costa/imagem cedida de arquivo pessoal

Um post emocionante feito pelo fotógrafo catarinense Rafael Festa no Facebook contando como foi se tornar pai adotivo viralizou na rede social, tendo quase 300 mil curtidas de 70 mil compartilhamentos. Ele desabafou fazendo um jogo de palavras ao comparar uma gestação com toda a burocracia administrativa do processo adotivo.

“E o nosso bebê nasceu! Com 1,44m, 40 quilos e... 10 anos. Nossa gestação não foi das mais convencionais. Não vimos nossa barriga crescer (exceto a minha, mas não por este motivo), mas nosso peito já não aguentava mais de tanto aperto”, escreveu o fotógrafo. “Tivemos um curso para explicar como seria nossa gravidez. Ao invés de um teste de farmácia, tivemos uma assistente social nos falando que existia a possibilidade de estarmos grávidos. Não ouvimos seu coração bater através de uma máquina, mas o nosso acelerou quando uma porta abriu e ele veio em nossa direção”, continuou.

“As nossas dores de parto foram as angustiantes semanas de espera por decisões burocráticas. E hoje, o nosso parteiro foi um juiz, sentado em uma cadeira, que assinou um papel e o nosso filho, finalmente, está em nossos braços”, comemorou Rafael, em outro ponto do texto. “Ao invés de pensar as fases que perdemos, eu gosto de imaginar todas as coisas que já conquistamos e o que ainda vamos conquistar”, continuou, elencando uma série de experiências que ele ainda vai ter com seu filho.

Veja abaixo o post completo e se emocione.

VEJA TAMBÉM: Especialista explica as novas regras para adoção no Brasil.