Festival de Cannes terá linha telefônica para denunciar assédio sexual

redação - O Estado de S.Paulo

Governo francês fez parceria com o evento após denúncias contra o produtor de cinema Harvey Weinstein

Um dos casos de assédio de que Harvey Weinstein é acusado teria ocorrido em Cannes.

Um dos casos de assédio de que Harvey Weinstein é acusado teria ocorrido em Cannes. Foto: John Carucci/ AP

O Festival de Cannes deste ano vai lutar contra o assédio sexual. O evento, que começa no dia 8 de maio, terá uma linha telefônica para que vítimas ou testemunhas denunciem agressores.

O evento uniu forças com o governo francês pela primeira vez em 71 anos para proteger as mulheres durante o festival anual.

A linha telefônica foi criada em consequência dos movimentos #MeToo e Time's Up, resultados das acusações contra o produtor de cinema Harvey Weinstein. Atualmente, ele é investigado por mais de 60 acusações de assédio sexual, e alguns casos teriam ocorrido em Cannes.

Na semana passada, a ministra francesa da igualdade, Marlene Schiappa, disse à agência de notícias AFP que "um dos estupros que Harvey Weinstein é acusado ocorreu em Cannes, e o festival não pode não agir".

Schiappa estaria se referindo à atriz italiana Asia Argento, que acusou o produtor de estuprá-la durante o evento de 1997 quando ela tinha 21 anos de idade.