Faltando um mês, polícia britânica inicia operação de segurança para casamento real

Michael Holden - Reuters

Príncipe Harry e Meghan Markle se casarão em 19 de maio

Os policiais Jim Hyman e Paul Schutler com os cães farejadores Yury e Gus.

Os policiais Jim Hyman e Paul Schutler com os cães farejadores Yury e Gus. Foto: Geoff Pugh / AFP Photo

A polícia de Windsor, onde o príncipe Harry se casará com a atriz americana Meghan Markle no próximo mês, afirmou na última quinta-feira, 19, que eles já começaram uma das maiores operações de segurança de sua história para garantir que o evento ocorra com tranquilidade.

Harry, 33, e Markle, 36, irão se casar em 19 de maio, na Capela de São Jorge, no castelo de Windsor, casa da avó do príncipe, na cidade que fica a 30 quilômetros ao oeste de Londres.

Mais de cem mil visitantes são esperados para ir a Windsow e celebrar o casamento, e a polícia disse que barreiras para evitar ataques com carros, patrulhas armadas e segurança ao estilo de aeroportos serão utilizadas para prevenir quaisquer acidentes.

Cães especializados em detectar explosivos da polícia do Vale do Tâmisa vasculharam a cidade na quinta-feira, examinando caixas de correio, cabines telefônica e sinais de potenciais dispositivos explosivos.

"Essa é uma grande operação para qualquer força policial, e uma das maiores em que já trabalhei", disse o coordenador das buscas policiais, Andy Turner. "É claro que queremos que tudo ocorra bem."

A Grã-Bretanha está no segundo maior nível de ameaças - severo - o que significa que um ataque é considerado bastante provável. No ´ultimo ano, houveram cinco incidentes classificados como terrorismo, em que 36 pessoas foram mortas.

A polícia disse que lojas e prédios serão vasculhados nos dias anteriores ao casamento. A polícia britânica de transporte também disse que eles terão tanto policiais visíveis quanto disfarçados ao longo de Londres e do sudeste da Inglaterra no dia, com unidades portando armas de fogo em estações centrais.

"Nós trabalhamos próximos com nossos parceiros de outras forças policiais, autoridades locais e companhias de trem para garantir que podemos responder rápida e decisivamente para qualquer incidente - seja ele qual for", disse o superintendente chefe John Conaghan.

Bob Broadhurst, o oficial que está a cargo do policiamento desde o casamento de William e Kate em 2011, disse que há questões importantes para as quais a polícia tem de estar preparada.

"É impossível revistar dezenas de milhares de pessoas que querem sair às ruas, cada uma delas pode ser uma potencial terrorista", contou à Reuters mais cedo neste mês.

Ele disse que policiais lidaram com 18 protestos durante o casamento de 2011, que passaram sem nenhum incidente, mas houveram reclamações de manifestantes de que a polícia teria 'pesado a mão'.

"A monarquia é uma insituição contestada e, enquanto isso for um casamento privado, todos os principais eventos reais como este serão usados como 'PR' para a monarquia", escreveu Graham Smith, chefe executivo da república.