Escola nos EUA ensina meninas a não negarem pedido de dança de meninos

Redação - O Estado de S.Paulo

Uma mãe se posicionou contra a pedagogia: ‘Psicologicamente, estão dizendo que minha filha precisa dizer sim a um homem'

Escola propõe que garotas não digam não a convites para dança feito pelos garotos e colegas de sala. 

Escola propõe que garotas não digam não a convites para dança feito pelos garotos e colegas de sala.  Foto: Pixabay

Uma escola em Ogden, no Estado de Utah, nos Estados Unidos, está ensinando a garotas que dizer não a um pedido de dança feito por um colega homem é errado. A pedagogia é implantada às vésperas do baile Hearts Day, em comemoração ao Valentine’s Day, data comemorada nesta quarta-feira, 14. Após reclamação de uma mãe, a coordenação da escola se posicionou: “O objetivo é promover a inclusão”. 

O caso veio à tona após a denúncia de Natalie Richard, mãe de uma estudante do sexto ano do colégio Kanesville Elementary School, que se diz chocada com a pedagogia. Para Natalie, forçar as garotas a dizerem sim não é uma boa política. Ela lembrou do contexto do movimento Me Too. “Dizer a uma garota que ela precisa dizer sim a um pedido de dança feito por um garoto reforça a mensagem de ‘garotas não podem dizer não’”, disse em entrevista ao jornal Salt Lake City’s da Fox 13

Natalie contou que foi à escola, e ali ouviu que os estudantes têm o mesmo ensinamento há anos, mas nunca houve reclamação. A turma faz um cartão de dança que pode ter até dez nomes – cinco parceiros de dança são escolhidos pelo dono do cartão e os outros cinco são os de pessoas para as quais o sim “precisa” ser dito. 

Um porta-voz da coordenação das escolas da região informou à People que uma supervisão está sendo feita após a denúncia e controvérsia. Ele acrescentou, porém, que a polícia do “não diga não” foi aplicada por um bom motivo. 

“Estudantes são ensinados que, se um colega lhes pedir para estar no cartão de dança, eles devem ser educados, respeitosos e aceitar dançar com a pessoa”, informou Lane Findlay, especialista em relações sociais do distrito escolar. “A proposta por trás da pedagogia é encorajar a maior interação entre estudantes e promover uma atmosfera de inclusão.