Escola norte-americana volta atrás em exigências machistas para baile de formatura

Redação - O Estado de S.Paulo

Alunos se mobilizaram nas redes sociais e nas aulas; protesto surtiu efeito

Código de vestimentas machista uniu estudantes em campanha contra a decisão da escola. 

Código de vestimentas machista uniu estudantes em campanha contra a decisão da escola.  Foto: Pixabay/DzeeShah

Uma escola pública na cidade de Jacksonville, na Flórida, causou revolta em seus alunos ao colar cartazes com instruções de um código de vestimenta considerado machista para o baile de formatura que acontece no próximo sábado, 1.

A estudante Lily Willingham publicou nas redes sociais uma foto dos cartazes, que mostram tipos de vestidos permitidos ou não e pedem para as alunas serem ‘boas garotas’. A imagem viralizou e gerou muitas reações tanto dentro quanto fora da escola.

Veja:

"Ainda bem que eles nos avisaram uma semana antes do baile, não é como se todo mundo já tivesse um vestido..." 

O grêmio estudantil logo se uniu para oferecer apoio às alunas. Estudantes foram às aulas usando camisetas com frases e imagens de protesto, além de fazerem publicações nas redes sociais. Com tanta pressão do corpo de alunos, a escola retirou os cartazes e disse não saber quem os colocou.

Conversando com o BuzzFeed News, a estudante disse que “o dress code não é só humilhante para mulheres, mas para os homens também, já que eles são tachados de animais que não conseguem se controlar”. Ela completou dizendo que esse tipo de código de vestimenta raramente existe para homens.

Veja algumas reações dos alunos abaixo:

"Diretoria, você errou! Obrigado ao @Coop_Connelly pelas frases na minha camiseta, não falaria melhor do que isso." 

"Dia das Mulheres em Stanton." 

"Ao invés do meu dever de casa, eu fiz isso."