Cura de uma separação

Barton Goldsmith - O Estado de S.Paulo

Apegue-se a pessoas que lhe darão apoio e ajudarão a superar esta fase difícil

Quando terminamos um relacionamento, lamentamos a perda com rejeição, ira, tristeza e, finalmente, aceitamos o fato.

São as cinco etapas da dor descritas por Elizabeth Kubler-Ross, que tive a felicidade de ter como professora. Ela foi a pioneira de estudos sobre morte e transição e viu que pessoas com doenças terminais, como também seus familiares, vivem essas emoções. Similarmente, choramos o fim de qualquer relação mais estreita.

Inicialmente você pode se sentir bem quando "sai" da relação, mas, se era um relacionamento antigo, vai perceber que a alegria inicial é substituída rapidamente pela saudade da pessoa com quem se relacionava e da vida que compartilhavam.

Quando terminamos um relacionamento, lamentamos a perda com rejeição, ira, tristeza e, finalmente, aceitamos 

Quando terminamos um relacionamento, lamentamos a perda com rejeição, ira, tristeza e, finalmente, aceitamos  Foto: KellyB / Creative Commons

Imagine que os últimos 20 anos não aconteceram. Sua vida e tudo que você construiu acabaram ou perderam valor, porque não há ninguém mais com quem partilhar. Não importa quanto você ganha e que tipo de acordo conseguiu com o seu ex-companheiro. O que está sentindo é a privação da energia da pessoa amada do seu coração e psique. E esta é uma das coisas mais dolorosas na vida.

Um vazio foi criado no seu coração e você tem ânsia de preenchê-lo. Mas necessita de um tempo antes de se envolver novamente. Arranjar um substituto provoca rapidamente um forte entusiasmo, que também acaba rapidamente. Este é o momento em que você tem de estar com as pessoas que mais a amam. Apegue-se a pessoas que lhe darão apoio e ajudarão a superar esta fase difícil.

Se está atravessando um divórcio ou qualquer ação legal, seja sensato e busque uma terapia. A dor associada ao divórcio pode durar anos, mas você pode cortar o mal pela raiz tendo o apoio emocional correto. Mas se procurar conselho, certifique-se de que escolheu um terapeuta licenciado com experiência nesta área. Você precisa de alguém que compreenda a natureza deste tipo de tormenta emocional. 

É também importante lembrar que rejeição é uma forma de proteção. Em outras palavras, talvez a pessoa que você deixou não fosse a certa para você e poderia fazê-la sofrer ainda mais no futuro. Quando tiver tempo para refletir sobre isto, verá que as coisas não seguiam na direção que desejava. Às vezes é difícil acreditar que há um significado mais profundo quanto ao que ocorreu com você, mas ao aceitar isto, você conseguirá curar suas feridas mais facilmente.

A leitura também é útil e existem milhões de livros publicados sobre este assunto. Um dos meus favoritos é o de Peter McWilliams intitulado Como sobreviver à perda de um amor. Se achar que não é ideal para você, peça sugestões para outras pessoas, ou vá a uma livraria e veja o que o atrai mais. 

Ao ler, novas ideias e uma nova energia vão direto para o seu cérebro. E você terá de colocar em prática o que está aprendendo.

Todos nós sofremos com separações, mas isto não quer dizer que é mais fácil. Chore sua tristeza e extravase sua dor. Você pode se surpreender com a felicidade que surge e irá substituí-la.

Barton Goldsmith é psicoterapeuta em Westlake Village, é autor de The Happy Couple: How to Make Happiness a Habit One Little Loving Thing at a Times

Tradução de Terezinha Martino