Conheça o que oferece a vila italiana que pagará 2 mil euros a novos moradores

Agência ANSA - ANSA

Bormida, na região da Ligúria, pretende pagar o valor a novos moradores em 2018

As pessoas que quiserem morar lá vão pagar apenas 50 euros mensais de aluguel numa casa de três dormitórios. 

As pessoas que quiserem morar lá vão pagar apenas 50 euros mensais de aluguel numa casa de três dormitórios.  Foto: Google Maps

Com apenas 394 habitantes, a pequena Bormida, na região da Ligúria, noroeste da Itália, pretende oferecer 2 mil euros para quem quiser se mudar para a cidade.    

O objetivo da medida é repovoar o vilarejo, que chegou a abrigar cerca de mil habitantes nos anos 1950, mas desde então vem sofrendo com o esvaziamento populacional, uma realidade que atinge muitos locais da Itália.    

Segundo o prefeito Daniele Galliano, o projeto ainda será aperfeiçoado nas próximas semanas, mas muitas pessoas já se mostraram dispostas a se mudar para Bormida, uma vila encravada nas montanhas e cercada por bosques e reservas naturais.    

Além disso, a cidade conta com quatro restaurantes, uma biblioteca, uma farmácia, uma agência de correios que abre três vezes por semana e uma pousada. Um médico cuida dos moradores locais três vezes por semana. Para os que gostam de turismo, há uma igreja construída em 1481 e um campanário barroco. Também existe uma capela de 1632.    

A Prefeitura de Bormida já tenta outras maneiras de atrair novos habitantes, como oferecer aluguel de casas a preços entre 50 e 120 euros por mês, dependendo do tamanho do imóvel. As residências são distribuídas por meio de uma licitação pública, e as próximas devem acontecer dentro de dois meses. 

 "Obrigado a todos pelo interesse em nosso vilarejo. Tendo em vista o grande número de pedidos para morar em Bormida, em apenas dois dias teríamos alcançado nosso objetivo", escreveu Galliano no Facebook. De acordo com ele, a proposta dos 2 mil euros ainda precisa ser apresentada e aprovada pela Câmara Municipal e pode entrar em vigor em 2018. No entanto, o prefeito conta com a ajuda do governo da Ligúria para financiar a iniciativa. "A crise do trabalho também existe aqui, infelizmente", disse Galliano em um comunicado divulgado no site da Prefeitura de Bormida.    

Nos comentários de suas postagens nas redes sociais, é possível encontrar diversas pessoas se oferecendo, inclusive brasileiros.    

"Olá, gostaria de saber mais informações, parabéns pela iniciativa! Pode contar comigo para crescer a população da cidade, pretendo ter muitos filhos!", escreveu uma moradora de Aracaju.