Conheça 3 regras para não errar no presente de Natal

Agência ANSA - ANSA

Artigo publicado na 'Psychology Today' explica também por que o preço do presente não importa

Se a pessoa já deu uma indicação do que quer ganhar, melhor seguir essa opção. Uma surpresa dificilmente vai ter mais sucesso, defende o artigo

Se a pessoa já deu uma indicação do que quer ganhar, melhor seguir essa opção. Uma surpresa dificilmente vai ter mais sucesso, defende o artigo Foto: Pixabay

ROMA (ANSA) - Um artigo publicado pela revista norte-americana Psychology Today no último dia 15 de dezembro mostrou que existem três regras a serem seguidas para não errar na hora de comprar os presentes de Natal.

Confira abaixo:

1. Nem sempre a surpresa é a melhor opção - Para a publicação, escolher um presente da "lista de desejos" é melhor do que preparar uma surpresa. As pessoas se sentem melhor quando sabem que vão receber aquilo que pesquisaram e planejaram por muito tempo, em vez de algo de que não gostam ou não é útil.   

2. O mais caro nem sempre é o melhor - No fim do ano, os gastos são excessivos por conta das comemorações de Natal e réveillon.    Porém, as despesas com presentes caros podem ser evitadas. Acredita-se que quando o item tem preço alto, quem recebe dará mais valor a ele. No entanto, a pesquisa da Psychology Today revelou que a utilidade e a qualidade do produto é mais importante que o valor pago.   

3. Presenteie a longo prazo - Quando presenteamos alguém, tendemos a pensar em curto prazo e comprar algo que ofereça alegria instantaneamente. Mas comprar ingressos para um espetáculo ou reservar um jantar em um restaurante que a pessoa goste pode levar a prazeres de longo prazo, que são mais valorizados. (ANSA)