Confeiteiro se recusa a fazer bolo para casamento gay e caso vai parar na Suprema Corte dos EUA

Redação - O Estado de S.Paulo

Em 2012, Jack Phillips disse que não aceitaria o pedido porque desrespeita seus princípios religosos

Confeiteiro se recusou a fazer bolo para casamento gay por desrespeitar seus princípios religiosos.

Confeiteiro se recusou a fazer bolo para casamento gay por desrespeitar seus princípios religiosos. Foto: Pixabay

Em 2012, Jack Phillips, o dono de uma confeitaria no Colorado, Estados Unidos, se recusou a fazer um bolo para um casamento homosseuxal, justificando que sua religião não permitia. Então os noivos, Charlie Craig e David Mullins, fizeram queixa contra o confeiteiro por discriminação.

De acordo com o Mashable, em 2015, a Tribunal do Colorado determinou que fazer um bolo para o casal não significaria que Phillips apoiava o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão também afirmou que o Ato Antidiscriminação do Colorado "proíbe que lugares públicos justiquem sua recusa em atender algum cliente baseado na orientação sexual destes".

Mas Phillips recorreu da decisão e o caso chegou até a Tribunal Superior. O advogado do confeiteiro justificou que os clientes poderiam ter "facilmente" conseguido um bolo de qualquer outra confeitaria. Já o advogado dos noivos se defendeu citando restaurantes que se recusavam a atender pessoas negras em 1966, porque os clientes poderiam "encontrar comida em outros lugares."

Na última segunda-feira, 26, o Tribunal Superior finalmente aceitou ouvir a apelação de Phillips e, agora, o processo que envolve direitos LGBT e liberdade religiosa ganha mais um capítulo.