Café temático com ratos abre em São Francisco

- AFP

O restaurante oferece aos visitantes a possibilidade de tomar café, chás e comer bolos enquanto brincam com alguns roedores

Ratinho chamado Emory faz amizade no Rat Cafe em São Francisco.

Ratinho chamado Emory faz amizade no Rat Cafe em São Francisco. Foto: AFP PHOTO / JOSH EDELSON

A peste bubônica transmitida por roedores pode parecer pouco apetitosa, mas uns visionários de São Francisco, na Califórnia, demonstraram ter a inspiração necessária para pôr em prática um dos mais recentes restaurantes da cidade: The Rat Cafe (O Café de Rato, em tradução livre).

O restaurante, inaugurado no último sábado, 1, oferece aos visitantes a possibilidade de tomar café, chás e comer bolos enquanto desfrutam de brincadeiras com alguns ratos. O café da manhã, que custa US$ 50 (cerca de 165 reais), foi concebido depois que alguns funcionários decidiram explorar um episódio da história de São Francisco: uma epidemia de peste negra ocorrida no início do século 20.

"Contamos a história da peste bubônica aqui em São Francisco e realmente achamos que estamos fazendo algo especial para o verão", disse Matthew Gunter, supervisor da nova proposta. "Permitimos que os clientes tenham a oportunidade de estar perto deles, mas sem risco algum de peste", afirmou.

Dezenas de pessoas participaram de duas sessões em que chegam a interagir com cerca de seis a oito ratos enquanto tomam café. Krissi Reeves, porta-voz do restaurante, disse que as entradas para 1 e 8 de julho se esgotaram em menos de uma hora.

Os ratos são providenciados pela Rattie Ratz, uma associação sem fins lucrativos da Califórnia que ajuda a colocar os roedores como animais de estimação. "Eles gostam de ser acariciados, são muito carinhosos, mais carinhosos que qualquer animal pequeno que se conhece", disse Jennifer Girgar.

The Rat Cafe é inaugurado em meio a uma crescente tendência na Ásia, Europa e Estados Unidos de cafés temáticos com gatos, onde os visitantes consomem bebidas rodeados de felinos que ainda podem ser adotados.

Tradução: Ludimila Honorato