#BatomPodeHomofobiaNAO: entenda a hashtag que está bombando no Twitter

Redação - O Estado de S.Paulo

Alunos de escola usam batom como forma de protesto contra a homofobia

Caso começou no colégio Sistema Elite de Ensino, em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro

Caso começou no colégio Sistema Elite de Ensino, em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro Foto: Pixabay

Atualizada em 1º de junho, às 12h50

Nesta quinta-feira, 1º, a hashtag #BatomPodeHomofobiaNAO é uma das mais comentadas no Twitter pelos brasileiros.

Tudo começou quando, na última quarta-feira, 31, um aluno, que se descreve como travesti em seu perfil no Twitter, da escola Sistema Elite de Ensino, em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, foi de batom para a aula. Ele fez um post na rede social em que afirma ter sido repreendido pela coordenação. Em vídeo enviado pela escola, ele explica que, na realidade, foi orientado a não usar maquiagem para não correr o risco de sofrer homofobia.

Na publicação, escreveu que estava "desapontado, mas não surpreso".

Depois disso, foi criada a hashtag. Vários alunos da instituição foram de batom nesta quinta-feira, 1º, para se colocar contra a homofobia. Alguns deles compartilharam fotos da ação em suas redes sociais.

Em nota, o Sistema Elite de Ensino afirma que já apurou o "mal entendido ocorrido com um aluno". Leia a nota na íntegra:

"O Sistema Elite de Ensino esclarece que já apurou internamente o mal entendido ocorrido com um aluno em uma de suas unidades. Conforme esclarecido pelo próprio aluno em um vídeo nas redes sociais, em nenhum momento houve atitude discriminatória da escola. Os princípios e valores do Elite, nos quais se embasa não só nossa proposta educativa mas também inspiram nossos modos de ser escola e nossos educadores, preza pelo acolhimento à diversidade e respeito ao ser humano."