Aula questiona diferentes tipos de amor e encanta alunos em universidade

- O Estado de S.Paulo

Professora que criou a matéria questiona o foco das pessoas no amor romântico

Público das aulas de Megan Poe triplicaram nos últimos dois anos

Público das aulas de Megan Poe triplicaram nos últimos dois anos Foto: Pixabay/ AndreasWeitz

Uma aula sobre amor, na Universidade de Nova York, tem encantato os alunos da instituição. A professora, Megan Poe, é uma psiquiatra de 42 anos que sempre se interessou muito pelo tema. 

A universidade pediu que ela estruturasse uma aula sobre amor e intimidade, então, ela criou a matéria "Love Actually" (amor na verdade, em tradução livre, e também título original do filme Simplesmente Amor). O sucesso foi tanto que em dois anos o número de alunos triplicou. 

Em entrevista ao The Guardian, Megan explica que fala sobre diversos tipos de amor, como amor parental, amizade, amor próprio e paixões pessoais. "Uma grande parte da aula é expandir as ideias dos estudantes sobre o que é amor e o que está dentro deste conceito", explica a psiquiatra. 

A professora diz que ao fim do semestre, guia os alunos em uma meditação de amor e gentileza. Além disso, Megan usa a técnica para mostrar as ideias por trás da meditação, "a habilidade de estar mais presente, de expandir a capacidade de amar". 

Ao The Guardian, Megan opina que o maior engano sobre o amor está no amor romântico. "Há uma cultura de focar muito no amor romântico, o que pode te cegar para o fato de que o amor está em todo lugar, o tempo todo", afirma. Além disso, a professora também pontua que é problemático que as pessoas confundam o amor próprio com egoísmo.