Aprimore seu nível de concentração

Barton Goldsmith - Tribune News Service

Quando mentalmente você se coloca numa posição favorável para receber a informação em vez de ir à caça dela, ela surgirá de modo mais rápido e fácil

Para muitas pessoas a dificuldade de se concentrar em alguma coisa é atribuída a uma certa confusão que se instala quando temos coisas demais na cabeça

Para muitas pessoas a dificuldade de se concentrar em alguma coisa é atribuída a uma certa confusão que se instala quando temos coisas demais na cabeça Foto: Pixabay

Concentrar-se numa tarefa imediata ou em metas de longo prazo é mais difícil para alguns do que para outros. A dificuldade de concentração não significa que você sofre de déficit de atenção ou demência. Quer dizer apenas que você é um ser humano. Mas muitas pessoas associam o esquecimento ao fato de envelhecer ou consideram a dificuldade de concentração uma doença que pode ser diagnosticada. Acho que muitas pessoas que ingerem remédios para esses problemas são medicadas sem necessidade. Todos nós temos capacidade de melhorar nosso foco e, em vez de se estressar diante de alguma tarefa a ser feita, você pode usar os momentos mentalmente desafiadores para aumentar a autoconfiança e seu foco.

Não conheço uma pessoa que não tenha entrado em um aposento e de repente esquecido o que procura ou porque entrou naquele aposento. Veja, esta é uma situação muito comum. Claro que se isto ocorre diariamente é preciso procurar um médico. É prudente se interessar pela sua saúde mental, mas exagerar na sua preocupação e estresse não vai ajudar. Portanto, faça um check-up, procure se certificar de que é uma pessoa normal e então conseguirá controlar sua mente. Para muitas pessoas a dificuldade de se concentrar em alguma coisa é atribuída a uma certa confusão que se instala quando temos coisas demais na cabeça. E quem não tem?

De acordo com um estudo realizado, pensamos em sete (mais ou menos duas) coisas ao mesmo tempo. Assim estamos sempre pensando no mínimo cinco coisas de uma vez e talvez até nove. Se acha isto normal, é lógico que você acabará esquecendo alguma coisa, porque sua mente está a 170 quilômetros por hora e nesta velocidade algo vai ser esquecido. Então, talvez a solução seja apenas diminuir a velocidade e lhe conceder o benefício da dúvida.

Um exercício que pratico há anos - especialmente quando esqueço a razão pela qual entrei no meu escritório, é permanecer ali, não me frustrar (especialmente comigo mesmo) e respirar, e ao mesmo tempo me perguntar o que estava precisando. Mentalmente procuro retornar ao ponto em que estava quando pensei naquilo que neste momento esqueci, e também mentalmente procuro reconstituir meus passo. Isto funciona quase sempre.

Se estiver mais relaxado perceberá que é mais fácil se comunicar com sua memória e sua direção. A tensão gera o oposto, de maneira que você tem de ser indulgente consigo mesmo e procurar se tranquilizar. Deste modo descobrirá o que procura. É muito simples. Nossa memória nos prega peças e às vezes não temos absoluta lembrança de alguma coisa. Mas quando mentalmente você se coloca numa posição favorável para receber a informação em vez de ir à caça dela, ela surgirá de modo mais rápido e fácil. 

Hoje existem muitos websites e programas que o ajudam a melhorar a função cerebral e quanto mais cedo você começar a praticar esses exercícios ou jogos, melhor se sentirá a longo prazo. Se essas ferramentas online não o agradam, pode fazer palavras cruzadas, decorar poesias ou mesmo aprender uma língua estrangeira para manter o cérebro afiado.

A verdade é que quanto mais usamos a memória, menos probabilidade temos de perdê-la. 

Tradução de Terezinha Martino