Academia oferece aulas de defesa pessoal para mulheres e LGBT

- O Estado de S.Paulo

CT TORI, no Rio de Janeiro, ensina Krav Maga 

Objetivo das aulas é o empoderamento de pessoas em situação de risco

Objetivo das aulas é o empoderamento de pessoas em situação de risco Foto: Cretive Commons/ leopoldo de castro

Um grupo de militantes do movimento LGBT decidiram se juntar para fazerem aulas de Krav Maga, luta focada em defesa pessoal. Eles decidiram entrar em contato com uma academia no Rio de Janeiro, a CT TORI, que os aceitou e eles começaram a ter aulas regularmente. 

O Piranhas Team KM, como o grupo se denomina, explica em sua página no Facebook que o objetivo é que pessoas em situação de risco consigam se defender. "Pretendemos promover o empoderamento dessas pessoas e contribuir para desconstrução de preconceitos e estigmas que ainda pairam sobre mulheres e LGBTs", escrevem.

Com o objetivo de incluir pessoas trans no treinamento, cada um da turma, além de pagar a sua mensalidade, divide os valores para que estes alunos possam participar das aulas. 

São duas turmas que treinam todas terças e quintas-feiras, uma no período da manhã e outra à noite. As aulas são para quem tem vontade de aprender, mas aqueles que tem interesse em ir além podem fazer exames de faixa.