Visão caleidoscópica

Beto Abolafio, de O Estado de S. Paulo - O Estado de S.Paulo

Attilio Baschera e Gregório Kramer produzem tecidos juntos há 40 anos

O que parece nortear o trabalho de Attilio Baschera e Gregório Kramer é um resgate de aspectos culturais brasileiros, sem deixar de lado os movimentos que acontecem por toda a parte. "Sempre que posso, volto às nossas origens", diz Attilio, de 76 anos, designer dos tecidos estampados que são marca registrada da AGain, entre outros itens bonitos de se ver. Mais voltado à produção, o argentino Gregório, de 69, se incumbe dos tramados mirabolantes.

 

É comum ver nessas estampas um contorno étnico que evoca o mix nacional de brancos, negros e índios, por exemplo. A adoção da natureza brasileira também tem vez, como se observa no novo tecido com exuberantes orquídeas - tanto na coloração original como em uma visão mais fashion, que privilegia os violáceos. E o que dizer da espécie de Toile de Jouy com a arquitetura de Niemeyer nos prédios de Brasília em vez de imagens bucólicas?

 

Por essas e por outras, a dupla virou um clássico brasuca, com uma obra de status atemporal. Mas, afinal, pode-se perguntar o que faz dois homens estarem juntos há 40 anos. Entre outros aspectos, dá para arriscar que é uma história de amor pelo belo.

 

E pensar que foi graças à insistência de uma amiga ao telefone que ambos encontraram o nome de sua loja. A dupla estava reunida, não podia atender e, lá pelas tantas, a empregada veio e disse: "É a quinta vez que ela liga". "Again?", perguntou Gregório. Pronto. Chegaram, enfim, a uma palavra que remetia à inicial dos nomes deles e ainda dava a entender um retorno. Era 2004. Fazia um tempo, os dois haviam vendido a Larmod - que fez história durante 25 anos sob sua direção - e estavam a viajar pelo mundo, num período sabático.