Vintage e atual

- O Estado de S.Paulo

O arquiteto Antonio Ferreira Junior une passado e presente em apartamento pensado como uma casa de família

.

Repostagem de Jennifer Gonzales

Produção de Ângela Caçapava

Fotos de Zeca Wittner/AE

 

No apartamento de 400 m² em Higienópolis, o retrô e o moderno dialogam sem parar, em um mix que inclui peças de mobiliário dos anos 60 e revestimentos atuais. Se a área social (que ocupa quase 25% do imóvel) tem dimensões quase palacianas, a sobriedade das cores predominantes – marrom, bege e preto – torna o conjunto acolhedor. "A ideia era imprimir a vivência dos donos no espaço", explica o arquiteto Antonio Ferreira Junior, que comandou o projeto ao lado de seu sócio, Mario Celso Bernardes. Os proprietários, com um filho pequeno e outro a caminho, gostam de arte (entre as obras expostas está uma gravura francesa do século 18 e outra de Volpi) e queriam uma morada ampla, que tivesse o mesmo conforto de uma casa.

 

O jantar, com mesa de madeira de demolição. Na parede, parte do acervo dos proprietários

 

As medidas generosas do apartamento já se revelam no hall, que anexou parte da área onde fica o elevador, uma vez que o imóvel é único no andar. Ao lado da porta principal, a parede em curva foi pintada de cinza escuro, assim como o lavabo contíguo. "Essa cor dá uma fechada e ao mesmo tempo sofistica o espaço", sugere Ferreira. Para finalizar a atmosfera de requinte, o profissional escolheu mármore piguês (O Marmorista) no piso, e o duo de cores – cinza e branco – valoriza a luminária de teto dos anos 70 e o abajur de metal e acrílico (Filter).

 

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos do projeto de Antonio Ferreira Junior

 

Na quebradeira de paredes que integrou living, sala de jantar e home theater, a coluna de sustentação foi exposta e não podia ser removida. O dono, por sua vez, queria um bar na área, o que levou o arquiteto a revestir o pilar de espelho fumê (Guardian) e usá-lo como base para o aparador de MDF laqueado de preto. Do outro lado da viga, o pequeno lounge se presta para um papo mais informal, com poltronas (Filter) revestidas de tecido de algodão príncipe de Gales (Again) e mesa de vidro e pinho-de-riga. "Quando nossos clientes disseram que gostavam de mobiliário retrô, vi que nossa sintonia era total", confessa Ferreira Junior, fã de objetos e mobiliário dos anos 50, 60 e 70.

 

FIAÇÃO ESCONDIDA

Os elementos presentes, no entanto, vão além desse estilo, como o extenso painel do home theater, feito de MDF laqueado de branco (Marcenaria Madeirart) e por dentro do qual correm fios da TV e de outros aparelhos. "Assim, a estante e as prateleiras ficam mais firmes do que se fixadas diretamente na alvenaria", ensina o arquiteto. O painel também se destaca junto ao piso de tacos ebanizados do ambiente (Aplicadora Master).

 

Na ala íntima do imóvel, o largo corredor se abre para o menor dos quatro dormitórios originais, transformado em sala de ginástica e equipado com esteira e alongador. Durante a obra (Marcos Renovato foi o empreteiro encarregado), além da derrubada da parede frontal e o acréscimo de sauna e lavabo, o piso ganhou aplicação de resina especial (Resinfloor) – que prevê menor impacto com o solo. A suíte de casal, por sua vez, teve os closets (um para ele e outro para ela) ampliados com a inclusão do então quarto de empregada, que ficava ao lado.

 

Na ponta oposta do apartamento, a cozinha lida com tons escuros e contrasta com a área social, mas nem por isso os ambientes deixam de se conectar. Junior substituiu a porta tradicional por um painel móvel com três folhas de correr, que se abrem mais segundo a integração desejada. Com 20% de área extra, originária da sala de jantar, o espaço acomoda equipamentos de inox e armários de vidro serigrafado e fórmica preta brilhante (Elgin), valorizados pelo porcelanato cru do piso (Portobello Shop). "O ambiente recebeu um visual masculino a pedido do marido, que gosta de cozinhar."