Uma casa que vive o ano inteiro embalada pela brisa do mar

Marcelo Lima - Reportagem

Sempre preparada para receber visitantes, casa de praia em Florianópolis propõe resgate estético

Na casa, uma aroeira de 7 metros de altura atravessa os dois pavimentos da casa e filtra a luz que incide no deck

Na casa, uma aroeira de 7 metros de altura atravessa os dois pavimentos da casa e filtra a luz que incide no deck Foto: Mariana Boro

Em um mapa de 1786, a localidade, já então famosa por seu mar tranquilo, de ondas suaves e águas claras, surge identificada apenas como ‘Praia Cana Vieiras’, em provável alusão a uma variedade de cana-de-açúcar no passado cultivada por lá. Um dos destinos mais procurados do verão de Florianópolis, Canasvieiras é hoje um bairro e uma praia. Com suas casas de sonhos e comércio descolado, ferve nos dias mais quentes, mas encanta em qualquer estação.

“Pensamos o projeto para receber os moradores e seus hóspedes durante todo o ano, não somente nos meses de verão. Todos os pisos são aquecidos. Além disso, do ponto de vista visual, a construção remete às casas mediterrâneas, frequentadas pelos europeus mesmo durante o inverno”, conta a arquiteta Juliana Pippi, responsável pela reforma desta residência de veraneio com 400 m² de área e paisagem a perder de vista.

“Meu principal desafio foi dotar o imóvel de conforto, mas sem perder a conexão com a simplicidade”, afirma Juliana, que levou a cabo uma distribuição sem maiores complicações. No piso térreo, fica a área social e no superior, a íntima. Ao todo, são três suítes e três salas, além de bar, cozinha gourmet com churrasqueira e área de serviço. 

Em referência às construções insulares gregas, paredes originais de pedra foram preservadas. Isso sem falar dos batentes e rodapés de madeira, que uma vez trocados ganharam tonalidade azul típica, reforçando a inspiração helênica da decoração.

Batentes e rodapés de madeira ganharam tonalidade azul típica, reforçando a inspiração helênica da decoração

Batentes e rodapés de madeira ganharam tonalidade azul típica, reforçando a inspiração helênica da decoração Foto: Mariana Boro

Sintonizadas com o clima, as cadeiras da sala de jantar, por exemplo, receberam capas de algodão cru, mais fáceis de remover e lavar. Já a madeira bruta, além dos móveis, marca presença na escada de acesso ao segundo pavimento, enquanto uma antiga escotilha de navio de metal oxidado acabou se transformando em janela no lavabo.

O um deck com spa, oferece condições ideais de relaxamento, além de vista permanente para o mar

O um deck com spa, oferece condições ideais de relaxamento, além de vista permanente para o mar Foto: Mariana Boro

“A paisagem é, sem dúvidas, o carro-chefe desse projeto”, assume Juliana, que não poupou esforços para fazer dela parte integrante da rotina de seus frequentadores. “Queria que a vista da praia literalmente invadisse todos os ambientes”, comenta ela que, para tanto, não só procurou aumentar ao máximo o tamanho das esquadrias, como também decidiu preservar a altura dos muros originais que circundam a casa. “Aqui se percebe este elo entre o rústico e o contemporâneo. A pedra e o vidro trabalhando juntos para possibilitar a visualização da paisagem”, comenta a arquiteta.

Todos os pisos são aquecidos e a construção remete às casas mediterrâneas, que são frequentadas mesmo durante o inverno

Todos os pisos são aquecidos e a construção remete às casas mediterrâneas, que são frequentadas mesmo durante o inverno Foto: Mariana Boro