Um toque de história

- O Estado de S.Paulo

A história dos pratos decorativos remonta à porcelana chinesa, surgida no século 1 d.C.. Louças do país asiático começaram a chegar à Europa no século 14. Mas só no início do século 16, depois que Portugal estabeleceu rotas comerciais com o Oriente, a China passou a produzir especialmente para o Ocidente. Os pratos azuis e brancos, que se tornaram parte significativa das exportações, eram chamados de porcelana kraak, derivado do holandês caracca (navio mercantil português). Essas peças, no entanto, ficaram famosas como Companhia das Índias, empresa de navegação que as transportavam. Enquanto isso, a demanda europeia por objetos utilitários crescia. No início do século 18 surgiram as primeiras fábricas de porcelana na Europa e a procura pela produção chinesa caiu. Mas os Estados Unidos, nova nação independente, passaram a negociar com aquele país e a fazer encomendas.

No Brasil, toda a porcelana era importada até a época do Império. O antiquário Eduardo Brunaro, que tem uma coleção de mais de cem pratos borrão, conta que os senhores de fazenda encomendavam serviços de louça para suas vastas propriedades. "O borrão é a porcelana na qual os chineses erravam o tom do decalque, a tinta vazava e as linhas dos desenhos ficavam mal definidas", diz. Essas peças eram consideradas refugo, geralmente usadas por escravos . Ironia do tempo, hoje se tornaram raras. "Quanto mais borrado, mais caro é."