Tudo se ilumina

Marisa Vieira da Costa, REPORTAGEM e Zeca Wittner, FOTOS - O Estado de S.Paulo

Um bom projeto luminotécnico valoriza a arquitetura, traz bem-estar, melhora o uso dos ambientes - e ainda reduz o consumo de energia. Veja dicas nesta edição especial

Um leve toque no painel de controle basta para dar às salas um clima de festa. Outro as transforma num ambiente aconchegante, perfeito para um jantar entre amigos. "Crio meus cenários de acordo com a ocasião ou com meu humor", diz o dono desta casa no Morumbi, que decidiu, ao reformar a propriedade, incluir um projeto de automação de iluminação.

 

Ele conta que, além de bem-estar, queria valorizar a arquitetura do imóvel, que ocupa boa parte do terreno de 1.200 m². Antes colonial, a morada ganhou linhas contemporâneas, com espaços abertos e muita transparência. "Aqui, a iluminação natural já é esplêndida e o projeto luminotécnico acrescentou beleza à construção", diz o proprietário, que reservou um grande espaço no piso inferior para uma sala de ioga e meditação.

 

Nela, o sistema de automação, implantado pela Eletromidia LED Lighting, apresenta sua face mais sofisticada. Um painel de alvenaria com LEDs coloridos embutidos permite que a luz altere por completo os tons da sala - e que o alongamento ou a meditação sejam acompanhados por sessões de cromoterapia. Por meio de um dispositivo fabricado pela empresa americana Lutron, é possível regular as cores, sua intensidade e até o tempo de projeção para cada uma.

 

No living, as grandes janelas multiplicam a possibilidade de criação de cenários. Durante o dia, eles são ditados pela incidência de luz natural e, à noite, por um jogo de reflexos. A separação entre a sala e a cozinha é feita por um quadrado de vidro leitoso, com luzes inseridas em rasgos no piso e no teto. Similar a uma enorme luminária, o anteparo é outro elemento importante no projeto de iluminação detalhado.

 

Logo na entrada da casa, depois do degrau de mármore, balizadores indicam o caminho ao visitante

 

 

O painel de vidro com luzes embutidas é mais um item do projeto de iluminação e compõe a cenografia com a luminária de acrílico do estúdio Nada se Leva.

 

À noite, mesmo com os pontos no teto e no piso acesos, o clima é suave.

 

 

A sala da casa no Morumbi, em dois tempos do controle luz. Os pontos iluminados no jardim emolduram o espaço

 

As cores dos móveis, os pilares revestidos de madeira e o piso ganham destaque com a iluminação noturna

 

 

 

Mesmo ambiente, dois cenários

Uma das composições pré-programadas aciona apenas os balizadores, que indicam o caminho, e a iluminação do pequeno lago interno. Em contraste, a opção criada especialmente para a noite confere destaque ainda maior ao vidro leitoso que fecha a cozinha, ao acender as luzes embutidas no teto.

 

 

Ao lado da coluna revestida de madeira, o móvel embute o bar

 

 

Perspectiva e contraste, em preto e branco

A parede de vidro negro, que sustenta o aparador, cria perspectiva no fundo da sala. Ela contrasta, de um lado, com o bloco de vidro leitoso que separa a sala da cozinha e, do outro, com a transparência da porta de correr, de onde se avista o bairro do Morumbi. Sobre a mesa de jantar, a luminária retangular, também preta, obedece ao controle da luz de acordo com a ocasião.