Terrários deixam a casa mais verde sem manutenção frequente

João Abel* / REPORTAGEM Zeca Wittner/ FOTOS - O Estado de S.Paulo

Produzido de forma completamente manual, esferas funcionam como pequenos ecossistemas

Decorar com plantas é um recurso cada vez mais frequente em projetos residenciais, mas nem sempre os moradores dispõem de tempo para fazer a manutenção de seus vasos e canteiros. Se esse for o seu caso, cultivar um terrário fechado pode ser uma boa opção. “Eles costumam durar até um ano sem regar”, diz Karin Miotto, florista do POTE Ateliê Botânico.

Produzido de forma completamente manual, o terrário funciona como um pequeno ecossistema. A água é colocada antes de vedar um recipiente de vidro e, lá dentro, percorre seu ciclo natural: evaporação, condensação e precipitação de volta à terra. Mas nem todas as plantas são adaptadas a este tipo de ambiente, explica Karin. “O ideal é optar por espécies de clima mais úmido como musgos, fitônias e samambaias.”

Desde que escolhidas as variedades mais apropriadas, não existem limitações quanto a tamanhos e formas. Alguns terrários podem ocupar aquários de até 1 m², mas para ornamentar salas ou ambientes internos, os mais indicados são os recipientes menores. “Existem terrários prontos para vender, mas é uma atividade quase terapêutica fazê-los manualmente”, ressalta a florista. “Cada pessoa imprime seu próprio estilo na disposição das plantas. O meu, no caso, é copiar ao máximo a natureza”, acrescenta ela que, a pedido do Casa, desenvolveu um deles, passo a passo para inspirar nossos leitores. Confira e monte o seu também.