Quarto crescente

Natália Mazzoni - O Estado de S.Paulo

Cores suaves, iluminação planejada e boas condições de circulação: a receita do sucesso para decorar o quarto infantil

A chegada de um bebê não altera só a rotina da família, mas também a disposição dos móveis da casa, a distribuição dos quartos. Há quem tenha se planejado tempos antes e já tenha um cômodo pronto para a criança, outros improvisam, outros têm de transformar um espaço em um ambiente aconchegante para o bebê. Seja qual for a situação, é preciso investir, é claro, mas nem todos os itens ditos como “obrigatórios” são mesmo essenciais no dia a dia dos pais, dizem aqueles que já passaram pela experiência. “A cômoda com trocador pode virar um ‘trambolho’ depois que o bebê cresce. Nem sempre temos onde colocá-la e se, você tem um armário, ela não é necessária”, afirma a arquiteta Ana Luiza Almeida Prado Sawaia, mãe do recém-nascido João, seu terceiro filho. Desta vez, ela também abriu mão da poltrona de amamentação, optando por um confortável futon, e privilegiou itens que podem ficar no quarto do menino até que ele seja pré-adolescente. 

A jornalista e publicitária Lucila Turqueto acredita que fugir dos temas tradicionais que costumam dominar todos os itens do quarto também é uma boa para ter um ambiente com mais personalidade. “O kit higiene, onde ficam os produtos do bebê, não precisa ser o tradicional. Improvise com caixas de cerâmica que você gosta, por exemplo. Pode sair mais barato, e mesmo que saia mais caro, é algo que vai ficar no quarto por muito tempo, sendo útil de outras maneiras”, diz. Para o arquiteto André Piva, investir em uma boa bancada é interessante para quem não pensa em reformular o espaço tão cedo. “Se o tampo for de altura ajustável, ele acompanha o crescimento da criança e, mais tarde, vira uma escrivaninha”, recomenda.

A arquiteta Elaine Gonzales, da Umm Arquitetura, considera que um bom quarto de criança é aquele com boas iluminação e circulação. “Também pense em materiais que sejam fáceis de limpar, tenha uma cama extra para os amigos dormirem, e claro, um bom lugar para os estudos, com móvel confortável e iluminação adequada.” 

Mais um cofundador do The Pirate Bay deixa a prisão

Fredik Neij é o segundo dos três fundadores condenados a deixar a prisão na Suécia

REUTERS
Os fundadores Fredik Neij, à esquerda; ao lado de Gottfrid Svartholm (ainda preso) e Peter Sunde

Mais um dos membros fundadores do The Pirate Bay concluiu sua pena na prisão e se encontra em liberdade. Fredik Neij foi detido em novembro do ano passado por autoridades na Tailândia e transferido para a Suécia, onde foi mantido preso, em Skänninge.

O programador de 37 anos cumpriu dois terços da sentença e foi libertado. Fredik Neij tem esposa e filhos em Laos, país do sudeste asiático, para onde deve retornar.

Neij foi condenado em 2012 após anos de briga judicial acusado de desrespeito à lei de direitos de propriedade intelectual, ao lado de Gottfrid Svartholm Warg e Peter Sunde, também fundadores do site.

Warg obteve a condenação mais longa, de três anos e meio. Peter Sunde, preso no ano passado, foi libertado em novembro e veio ao Brasil em abril para um evento sobre criptografia e privacidade.

Ao site TorrentFreak, um membro da família de Neij enviou fotos do operador do Pirate Bay.

REPRODUÇÃO/TORRENTFREAK/ARQUIVO PESSOAL

 

Saga

Um documentário lançado em 2013 conta a história dos fundadores do site de torrent (tipo de arquivo que transfere conteúdo entre duas partes, origem e destino, através do protocolo BitTorrent) mais popular da história, usado para download de filmes, músicas e softwares, normalmente protegidos por direitos autorais.

A saga de Gottfrid Svartholm, Fredrik Neij and Peter Sunde, dirigida por Simon Klose, conta com muita tensão em tribunais, brigas, esconderijos e piadinhas. No pano de fundo, a crença de que a cultura deve ser compartilhada e acessível.

Mais um cofundador do The Pirate Bay deixa a prisão

Fredik Neij é o segundo dos três fundadores condenados a deixar a prisão na Suécia

REUTERS
Os fundadores Fredik Neij, à esquerda; ao lado de Gottfrid Svartholm (ainda preso) e Peter Sunde

Mais um dos membros fundadores do The Pirate Bay concluiu sua pena na prisão e se encontra em liberdade. Fredik Neij foi detido em novembro do ano passado por autoridades na Tailândia e transferido para a Suécia, onde foi mantido preso, em Skänninge.

O programador de 37 anos cumpriu dois terços da sentença e foi libertado. Fredik Neij tem esposa e filhos em Laos, país do sudeste asiático, para onde deve retornar.

Neij foi condenado em 2012 após anos de briga judicial acusado de desrespeito à lei de direitos de propriedade intelectual, ao lado de Gottfrid Svartholm Warg e Peter Sunde, também fundadores do site.

Warg obteve a condenação mais longa, de três anos e meio. Peter Sunde, preso no ano passado, foi libertado em novembro e veio ao Brasil em abril para um evento sobre criptografia e privacidade.

Ao site TorrentFreak, um membro da família de Neij enviou fotos do operador do Pirate Bay.

REPRODUÇÃO/TORRENTFREAK/ARQUIVO PESSOAL

 

Saga

Um documentário lançado em 2013 conta a história dos fundadores do site de torrent (tipo de arquivo que transfere conteúdo entre duas partes, origem e destino, através do protocolo BitTorrent) mais popular da história, usado para download de filmes, músicas e softwares, normalmente protegidos por direitos autorais.

A saga de Gottfrid Svartholm, Fredrik Neij and Peter Sunde, dirigida por Simon Klose, conta com muita tensão em tribunais, brigas, esconderijos e piadinhas. No pano de fundo, a crença de que a cultura deve ser compartilhada e acessível.