Por uma outra identidade

Natália Mazzoni - O Estado de S.Paulo

Reforma ampliou área útil e criou nova perspectiva visual neste apartamento

Vista da área social do apartamento, com piso epóxi da Rix Pinturas

Vista da área social do apartamento, com piso epóxi da Rix Pinturas Foto: Pedro Napoli Prata/Divulgação

O projeto de reforma deste apartamento em um edifício na Avenida Rebouças se traduz na continuidade entre os ambientes. Na obra tocada pelos arquitetos do escritório Vapor 324, os cômodos foram ampliados com a eliminação dos corredores, a cozinha integrou-se à sala e, agora, o lugar conta com boa ventilação cruzada e iluminação direta vinda das três fachadas que compõem o apartamento. 

“Durante as reuniões de projeto, nos foi solicitado pelo proprietário evitar ao máximo as perdas  de espaços, algo que acontecia com os antigos corredores. Outro pedido especial foi que instalássemos um piso que fosse ao mesmo tempo lúdico e resistente, para que a filha do casal pudesse brincar confortavelmente”, diz o arquiteto Rodrigo Oliveira. 

O piso escolhido, um epóxi autonivelante na cor azul, foi instalado in loco e não tem nenhuma fresta em sua superfície. “A cor vem de uma busca do Vapor 324 por uma arquitetura mais leve e lúdica e não meramente técnica”, explica Oliveira. 

Depois da obra, o apartamento ficou dividido em dois blocos: um social, marcado pelo piso azul, e outro íntimo, com dois quartos e uma pequena sala de TV, caracterizado pelo piso de madeira. “O acabamento de epóxi dialoga com as superfícies azulejadas, cores claras e elementos de aço inox”, comenta. 

Na área íntima, os quartos são separados por uma pequena sala. Para que nenhum dos 80 m² do imóvel fosse desperdiçado, o escritório desenhou a maior parte do mobiliário, como a estante de madeira que apoia livros e também funciona como divisória de ambientes entre os dois blocos. A integração dos espaços trouxe a solução para outra questão que incomodava o morador: a falta de luz natural nos cômodos. “Da forma como deixamos a planta, agora todos os ambientes recebem iluminação natural, distribuída de maneira homogênea”, explica.

Um dos pontos preferidos do arquiteto é a jardineira de aço inox que abriga uma horta de temperos na janela da cozinha. Os móveis do espaço também foram projetados pelo escritório, feitos sob medida para acomodar os utensílios sem ocupar espaço demais, como acontece com as ferramentas mais usadas, que ficam penduradas em ganchos em cima da pia. Na lateral do fogão, sobrou lugar até para uma pequena prateleira, que não interfere na passagem para a área de serviço. 

Outros detalhes ajudam a compor a atmosfera descontraída do projeto, como a sapateira apoiada na parede azulejada do estar e os vasos com folhagens espalhados pela casa. “Soluções simples, como o uso de diferentes materiais, e a readequação espacial conseguiram aumentar a área útil. E também, é claro, as perspectivas visuais.”