Paris e Londres preparam concorridas semanas de design

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Eventos, em setembro, estão entre os mais importantes do cenário internacional

Prateleira vintage de Wilhelm Lutjens, da galeria francesa Balouga

Prateleira vintage de Wilhelm Lutjens, da galeria francesa Balouga Foto: Divulgação

A princípio elas guardam em comum o objetivo de promover a cultura do design e suas conexões com a arquitetura, a arte, a decoração e todas as demais disciplinas criativas. Contam com eventos independentes, simultâneos e integrados por um programa oficial e, acontecem em paralelo, ou não, a uma grande feira comercial. São as semanas de design. Um sucesso de público – e crítica – que parece não conhecer fronteiras.

Na Europa, onde a prática surgiu de forma espontânea em torno do Salão do Móvel de Milão, a partir dos anos 60, raras são as capitais que não contam com uma semana dedicada ao tema em seus calendários. Apenas no mês que vem, serão dois os eventos a movimentar o final do verão europeu.

Dando a largada, em sua quinta edição, a Paris Design Week, que acontece de 5 a 12 de setembro, pretende reunir 300 expositores, espalhados por cinco locações bastante presentes no imaginário da cidade: as regiões de Saint-Germain-des-Prés/Opéra, Concorde/Etoile, Marais/Bastille e Barbès/Stalingrad. A cada noite, uma delas hospedará os lançamentos do dia, o que facilita bastante a visitação. 

Siga o Casa no Instragram e use a hashtag #casaestadao

A oferta de eventos é vasta e mobiliza quase toda a capital francesa. Além dos endereços clássicos do design e da decoração locais, salas de exposições, oficinas e até restaurantes são tomados como locações, onde o público tem a oportunidade de encontrar criadores de diversas áreas. Além do design de mobiliário e da iluminação, arquitetura e moda são também assuntos contemplados.

Novidade desta edição, um circuito especial, desenvolvido em parceria com a Maison & Objet (feira que acontece de 4 a 8 de setembro), será dirigido aos profissionais de design de interiores e vai oferecer um roteiro de visitas a lojas de iluminação, revestimentos, cozinha e banho, bem como promover palestras com especialistas franceses do setor.

“Vamos contar com espaço ampliado para abrigar o nosso Fórum de Inspirações”, diz Philippe Brocade, diretor da Maison, que vê na reestruturação a possibilidade de apresentar de forma mais intensiva e abrangente os temas elencados pelos organizadores como dominantes a cada temporada. Nesta, por exemplo, a ideia de preciosidade promete ocupar o centro das reflexões. “O precioso é frequentemente associado com o ouro, com espelhos, com ornamentos. Mas ainda que o que é valioso o seja de fato, nem sempre algo precioso tem o mesmo valor para todos. Nossas mostras conceituais vão mostrar como isso se dá nos domínios do design e da decoração”, pontua ele.

Curta a página do Casa no Facebook

Mas, para aqueles que pretendem se aventurar além dos endereços “bon chic, bon genre” do décor parisiense, a exposição now! Le Off, na descolada Docks – Cidade da Moda e do Design, situada às margens do Sena, com acesso direto pela estação Austerlitz – é endereço obrigatório. Além do icônico prédio, que por si só já vale a visita, com suas rampas externas verde-limão, que se assemelham a lagartas, o local é célebre por acolher a vanguarda do design francês, em mostras coletivas ou individuais.

Apagadas as luzes da festa parisiense é a vez de Londres entrar em cena, de 19 a 27 de setembro, com seu festival que existe desde 2003 e é considerado um dos mais importantes do mundo. Cerca de 350 eventos foram organizados em torno do tema, em cinco bairros – Bankside, Brompton, Chelsea, Clerkenwell, Islington, Queens Park e Shoreditch Triangle –, e ancorados por alguns endereços-chave da cidade.

O mais importante deles, o Museu Victoria & Albert, além de sede do festival, costuma hospedar mostras temáticas, intervenções e palestras imperdíveis. As feiras são também ponto de referência, com destaque para a 100% Design, mais tradicional, a recém-chegada designjunction e a alternativa – e altamente recomendada – Tent London & Superbrands.

Essa última, um celeiro de novos talentos, apresentando a produção de designers emergentes, que, a exemplo dos franceses do Le Docks, são mais afeitos a um enfoque menos comercial do ofício de produzir objetos. Jovens que, aliás, são, a um só tempo, os alvos preferenciais e os grandes protagonistas das semanas de design mundo afora.