Novo espaço paulistano propõe criações que transitam entre a moda e o design

Vivian Codogno - O Estado de S. Paulo

Espaço Quadrado, inaugurado há três meses na região de Higienópolis, comercializa obras sob encomenda

Uma amizade de longa data e a vontade de trocar referências motivaram o estilista Mareu Nitchke e o artista plástico Carlos Bertuol a investirem na abertura do Espaço Quadrado, inaugurado há três meses na região de Higienópolis, em São Paulo. A proposta da casa é mesclar arte, design e moda em obras produzidas no próprio ateliê.

Nitchke leva para o Espaço suas mesas, bancos e jogos americanos criados a partir de quadrados de madeira e ferro, que podem ser comprados sob encomenda. Por sua vez, o trabalho de Carlos Bertuol, pautado por figuras de corvos, aparece como estampa única ou em prints na coleção de Mareu. A identidade com tons sombrios do trabalho de ambos transparece ainda na montagem do espaço, que abusa do preto e do cinza.

“Trabalhamos, Carlos e eu, com o mesmo tema. Unimos arte e casa. Moda e design. Aqui, um interfere no trabalho do outro”, explica Nitchke. “Vamos manter uma pegada artística forte na loja. E o que faz essa história é a nossa manifestação”, reflete.

Com origem profissional na moda genderless - quando não há especificação de gênero para as peças - Nitchke elabora seus móveis a partir da fusão de até dez quadrados ‘encaixados’ entre si. Um processo que se repete nos bancos, cadeiras, mesas e até esculturas que se espalham pelo Espaço Quadrado. A ideia é que o momento profissional da dupla de artistas se reflita na confecção e na oferta de peças. “A loja veio com uma vontade nossa de diminuir. Estamos apostando em uma proposta slow, de viver com menos”, pontua o designer. “Isso vai ao encontro de um consumo mais consciente”, avalia Nitchke.

Sob essa perspectiva, a dupla pretende transformar o espaço em uma casa colaborativa para exposição e venda de peças de outros artistas. O primeiro passo neste sentido foi dado no último sábado, 8, quando o Espaço passou a ser o ponto de venda exclusivo da marca de echarpes Arrivals Gate, com design assinado pela artista visual Adriana Lerner Adelson e produzidas em Kathmandu, no Nepal.

“Lojinhas como a nossa são encontradas em qualquer rua de Londres ou Amsterdã. Mas ainda temos poucas assim em São Paulo”, comenta o designer, que fixou na entrada do ateliê um manifesto atraindo o que chama de ‘garimpeiros’. “Nosso público gosta de sair do lugar comum, busca uma experiência estética diferente”, analisa Nitchke.