Muito além da cena

Mrcelo Lima, produção de Maria Regina Notolilni - O Estado de S.Paulo

Filmes são fontes para mudanças no décor

Poucos sets de filmagem foram capazes de exibir um décor tão carregado quanto O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola. Nele, Don Corleone (Marlon Brando) é o líder de uma família italiana de Nova York que, nos anos 40, tinha por hábito apadrinhar pessoas mediante polpudos favores. Tão obscuros quantos os negócios engendrados pelo patriarca, os ambientes retratados aqui pelo diretor merecem atenção especial: em meio à uma atmosfera noir – rara para um filme produzido em cores –, salas, quartos e escritórios, sempre envoltos por fumaça e fachos de luz concentrada, escondem preciosidades. Repare nas paredes recobertas por tecidos adamascados e nos lustres de cristal. Um acervo que não passou despercebido para Michael (Al Pacino), que, assim como o legado do pai, julgou por bem preservar a história da família contada pela casa.

 

 

 

 

1.   2. 

3.4.

5.6.  

7.

 

1. Tecido adamascado Grambois (R$ 1.076 o m), da NA.h.

2. Telefone (R$ 300) da Passado Presente

3. Escrivaninha Mercier Frère. Preço sob consulta na Renée Behar

4. Arandela francesa do século 19. Preço sob consulta na Renée Behar

5. Chapéu anos 50 (R$ 280), da Passado Presente

6. Poltrona de couro. Preço sob consulta na Juliana Benfatti

7. Luminária de latão e couro (R$ 3.700), da Juliana Benfatti

 

 

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Na sua mais aclamada performance no cinema, Jim Carrey interpreta Joel Barish, que um dia se depara com a desconcertante descoberta de que sua amada, Clementine (Kate Winslet), apagou da memória o affair do casal. Enraivecido, ele decide se vingar e se submete ao mesmo procedimento terapêutico. Mas, tão logo o processo se inicia, Barish se arrepende e tenta, desesperadamente, reintroduzir sua cara metade em suas memórias. Amparado por uma direção de arte eficiente, é a partir de um sofá-cama – móvel síntese de seu viver eminentemente urbano – que o personagem de Carrey embarca em viagens repletas de letreiros inacabados e cenários desgastados de época. Caso da impagável cozinha anos 60, onde o bebê Barish observa, sob a mesa, as pernas de sua imaginária Clementine. Puro deleite.

 

 

 

1.  2.

3. 4.

5. 6.

7.

 

1. Gravura de Manu Maltez, do livro ‘Mar que Arrebenta’ (R$ 27,90), na Zaccara

2. Chaise de junco (R$ 1.800), na Cipó Brasil

3. Ampulheta (R$ 60) do brechó Minha Avó Tinha

4. Cabeça de resina, criação de Pinky Wainer (R$ 1.100), na Loja do Bispo

5. Toy Art Quadrics (R$ 223), na Morinson Toy Store

6. Porta-livros (R$ 430 cada) da Loja do Bispo

7. Canecasde porcelana (R$ 11,90 cada), na GS Internacional