Inovação é o principal ingrediente nos serviços de mesa de Stefano Seletti

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Em visita ao País, designer italiano apresenta suas peças de design pouco convencional

O designer italiano Stefano Seletti

O designer italiano Stefano Seletti Foto: Divulgação

Stefano Seletti, herdeiro da marca de mesmo nome fundada por seu pai em 1964, em Cicognara, no norte da Itália, conhece bem as dificuldade de vender inovação em áreas do design dominadas pela tradição. “Nossos ganhos ainda são limitados e o trabalho é grande, mas não abrimos mão de colocar em prática os valores nos quais acreditamos”, afirmou ele, que, em visita a São Paulo na semana passada, apresentou na Conceito: firmacasa e na feira Abup, duas de suas mais recentes coleções: a Machine, criada para a marca de moda Diesel, e a Seletti Wears Toiletpaper.Temas abordados por ele nesta entrevista ao Casa.

Siga o Casa no Instagram e use a hashtag #casaestadao

Para quem os produtos Seletti são criados?

Desde o início, nosso público alvo sempre foi a classe média. Nesse segmento, no entanto, sempre procuramos identificar aquele tipo de consumidor que não se limita apenas a consumir em função de seu poder de compra ou pelo fascínio da marca. Sempre nos interessou o consumidor que se move por seu gosto pessoal. Pelo simples desejo de possuir determinado produto. Para nós seria impossível competir com fábricas que produzem porcelana desde 1650 ou com grandes nomes da iluminação como Flos, Foscarini ou Artemide. A única razão de nossa existência, e diria sobrevivência, é criar alguma coisa realmente nova, que seja atraente para o consumidor. Nossa sobrevivência nos impõe a necessidade de nos renovarmos a cada dia, de evoluir sempre. Para nós, ‘(r)evolution is the only solution’ (r-evolução é a única solução). É a partir dessa perspectiva que confrontamos setores tradicionais como serviços de mesa e iluminação.

Da Diesel Home Collection, a linha de pratos Cosmic Dinner

Da Diesel Home Collection, a linha de pratos Cosmic Dinner Foto: Divulgação

A quais fatores o senhor atribui o fato de a memória e mesmo os materiais do passado estarem tão presentes no desenho dos utilitários hoje? Por que as pessoas se sentem atraídas por eles?

É como abrir o armário da cozinha da casa da avó e pegar um prato trincado no qual você comia quando pequeno e perceber que a rachadura continua intacta. A sensação de segurança e tranquilidade que trazem certos objetos ligados à nossa memória é fundamental. A lembrança é cultura e a cultura é o alimento de qualquer atividade. Isso é tanto válido para um designer quanto para um artista, mas também um encanador ou um motorista de ônibus.

Como são definidos os temas de cada Diesel Home Collection?

Via de regra, a Diesel manifesta sua intenção e discutimos o assunto em conjunto. No caso de nossa última coleção, a Machine, fizemos uma mesa redonda para decidir como seria preparar uma mesa para os dias de hoje. Levamos mais de um ano em busca de um ponto de equilíbrio entre função e linguagem, até que pudéssemos apresentar o projeto para Renzo Rosso (dono da Diesel) e obter sua aprovação.

A Machine Collection também para a Diesel Home Collection, com porcelanas inspiradas em engrenagens mecânicas

A Machine Collection também para a Diesel Home Collection, com porcelanas inspiradas em engrenagens mecânicas Foto: Divulgação