“Franquear o consumo também era nosso desejo”, afirmam os Irmãos Campana sobre nova coleção

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Com peças a partir de R$330, ‘Assimétrica’ acaba de chegar a lojas Tok&Stok

Cadeira e escrivaninha com apoio para livros, duas das peças que mais chamam atenção na coleção.

Cadeira e escrivaninha com apoio para livros, duas das peças que mais chamam atenção na coleção. Foto: Tok & Stok

Acalentado por muitos, o desejo de possuir um autêntico Campanas em casa nunca esteve tão próximo dos admiradores do design nacional. Já a disposição de consumidores de todo o Brasil, a coleção Assimétrica, de assentos, mesas, cadeiras, estantes e escrivaninhas de madeira, acaba de chegar às lojas Tok & Stok, por preços a partir de R$ 330 (um dos bancos da linha). “Franquear o consumo também era o nosso desejo, tanto que foi tomado por nós como um parâmetro essencial ao projeto”, declara Humberto. “Isso, sem abrir mão de nossa linguagem”, salienta Fernando que, ao lado do irmão, recebeu a reportagem do Casa no ateliê da dupla no bairro de Santa Cecília para comentar o atual lançamento.

Como surgiu o conceito da coleção?

Fernando Campana: Há tempos perseguíamos a ideia de produzir móveis de custos mais acessíveis para a Tok&Stok. Sempre foi nosso desejo. Faltava apenas conciliar uma ideia forte com as condições de produção da empresa, o que acabamos identificando na coleção que havíamos desenvolvido a partir de resíduos de madeira para o Refettorio Gastromotiva (uma ONG que atua no Rio de Janeiro e São Paulo e que se propõe a promover transformações sociais por meio da gastronomia). 

Como se deu o desenvolvimento das peças?

Humberto Campana: Em setembro do ano passado visitei por duas vezes o parque fabril da empresa em São Bento do Sul, em Santa Catarina, para me inteirar de todas as condições capazes de reduzir os custos. É impressionante como pequenos detalhes de construção podem interferir enormemente nos preços finais. Como optar por pés intercambiáveis, por exemplo. A partir daí, nos reunimos no ateliê e resolvemos trabalhar em cima da ideia de uma coleção que fosse desmontável.

O que o mobiliário apresentado na Assimétrica traz de mais, autenticamente, “Campana”?

FC: Existe algo neles que remete à ideia de um design da necessidade. Um projeto que nasce da urgência, tais como os móveis que os pedreiros constroem para utilização imediata, para dormir ou se apoiar nos canteiros de obras, por exemplo. O que, em si, já é uma ideia que nos interessa bastante. 

HC: Entre todos os nosso móveis, estes parecem ser os que mais nascem de uma ideia e menos de um determinado material. Do ponto de vista construtivo, por sua vez, eles pressupõem a ideia de e mudança, e, neste sentido, acho que eles são bem nossa cara.