Com personalidade, cozinha sai das sombras para o centro de tudo

Marcelo Hermsdorf - Especial para o Estado

Repaginado, apartamento deu vazão ao ambiente que sempre faz parte da área de serviço dos empreendimentos

Detalhes da disposição da bancada no meio da cozinha

Detalhes da disposição da bancada no meio da cozinha Foto: MARIANA ORSI

Como muitos a sua volta, esse apartamento de 90 m², construído no bairro da Vila Mariana, oferecia diversas possibilidades de ocupação. Mas também trazia consigo um grande número de divisórias, o que limitava demais o uso do espaço. “O principal problema era a cozinha”, conta Renata Adoni, sócia das também arquitetas Marcela Muniz e Mariana Bilman na MAB3 Arquitetura. O trio lançou mão de soluções criativas para atualizar a planta deste apartamento, onde um casal e sua filha convivem em perfeita harmonia com três gatos.

A ideia de integrar todos os ambientes, por si só, não seria nenhuma novidade. “A diferença deste projeto foi usar a cozinha como espaço principal. A área é a porta de entrada do apartamento e conecta todos os outros cômodos. A proprietária gosta de cozinhar e está sempre por lá. Então, centramos nossa atenção nesse espaço e aproveitamos sua área segmentada para redesenhar todo o apartamento”, completa a arquiteta Renata Adoni.

A estante de metal como suporte para a televisão e as obras de arte

A estante de metal como suporte para a televisão e as obras de arte Foto: MARIANA ORSI

Mariana Bilman, outra autora do projeto, conta que o fundamental para que isso se tornasse possível foi o modo como a proposta se adequou ao espírito dos moradores. “A cozinha não tem uma cara tradicional. Ela é toda trabalhada na marcenaria, com cores fortes e madeira natural. A nossa ideia era que a cozinha parecesse uma estante”, lembra. A utilização do móvel percorre todo o local e leva o visitante para os outros ambientes sem maiores sobressaltos.

Auxiliado por uma bancada que se converte em mesa de jantar, e que também conecta o fogão à churrasqueira, a peça completa o ambiente e cria uma sensação de sala de jantar totalmente integrada à cozinha. “Procuramos sempre ocupar tudo. Para isso, utilizamos mobiliário sob medida. Assim, conseguimos ampliar o local o máximo possível, sempre integrando”, conta.

Mas, uma vez resolvida a questão da cozinha, nem tudo foi tão simples. Uma dificuldade foi o quarto da filha do casal, que tem a única janela virada para a sala. “Ela reclamava da falta de privacidade. A solução foi criar uma estante de metal, que cumpre algumas funções: não é somente um apoio para o televisor. Ela encobre a janela do quarto, ampliando a privacidade, sem retirar a luminosidade e a ventilação, além de se constituir uma divisória entre a sala de estar e a área de leitura”, diz Marcela Muniz.

Ela ainda destaca que tudo tem a intenção de continuidade. O aparador com diversos quadros ao lado da cozinha encaminha o visitante para o quarto do casal, que também tem como destaque algumas obras de arte. “Ainda neste quarto, a varanda foi integrada ao cômodo e transformada em um closet com um armário de cada lado. Além disso, um pequeno espaço foi reservado para acomodar a máquina do ar-condicionado, comenta.

Neste amabiente, os gatos tem espaço garantido com escada e passarelas só para os três

Neste amabiente, os gatos tem espaço garantido com escada e passarelas só para os três Foto: MARIANA ORSI

Já no dormitório da filha, outras estruturas, também de madeira, foram criadas para funcionar como passarela para os gatos da família. Segundo Marcela, o principal objetivo da utilização de tanta marcenaria foi dar uma conotação atemporal a cada espaço. “É sempre possível mudar as cores para tornar cada local contemporâneo e dinâmico. A localização alta, no nono andar, ainda facilita a presença constante da iluminação e da ventilação em todo o apartamento. Enfim, trata-se de um espaço de longa vida útil”, conclui Marcela.