E nada mudou

- O Estado de S.Paulo

Trazida ao Brasil por um italiano de Lucca, a técnica de produção é a mesma desde o início da década de 20

.

Reportagem de Maria Helena Pugliese

Fotos de JB Neto

 

O modo de fabricação do ladrilho hidráulico é praticamente o mesmo desde que foi criado, no século 19. O processo inclui moldes de metal, cimento, tinta e água. "É claro que alguns ajustes aconteceram ao longo dos anos. Os moldes, por exemplo, não são mais de bronze, mas de latão", explica Divo Picazio, da fábrica Dalle Piagge. Ele é descendente de Federico Dalle Piagge, que trouxe a técnica de produção quando chegou de Lucca, Itália, no início dos anos 20. Hoje, os poucos fabricantes do revestimento de São Paulo são bisnetos do italiano e ainda mantêm moldes trazidos da Europa. "Temos mais de 1.300 desenhos e quase todos são originais da Itália, Inglaterra, França e Espanha", diz Marcello Ruocco, sócio da Ladrilar, que fabrica ladrilhos desde 1922.

 

 

Além da beleza exclusiva – peças feitas no mesmo molde podem ficar totalmente diferentes só pela mudança na combinação de cores –, o que faz a fama dos ladrilhos hidráulicos é sua resistência ao tempo, resultado do artesanal trabalho dos ladrilheiros. "O processo é minucioso, por isso fica impossível entregar encomendas em menos de 30 dias", afirma Zilton Michiles, que há 25 anos comprou de um filho de Federico Dalle Piagge a Fábrica de Ornatos Nossa Senhora da Penha.

 

Veja também:

linkMix de cor e forma

linkFabricação artesanal: o passo a passo do ladrilho hidráulico

 

Mas essa espera compensa. "O ladrilho é feito para durar pelo menos 50 anos", diz Ruocco. Recentemente, a Ladrilar participou do trabalho de restauração do piso do terraço do Edifício Martinelli, no centro, comandada pelo Atelier Artístico Sarasá. "O ladrilho original já tinha 50 anos e foi instalado por meu avô. Só precisamos trocar algumas peças."

 

 

Ainda mais antigo, o piso da Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, no centro, data do início do século 20 e só precisou de alguns reparos antes de ser reaberta, em julho, após longo período de restauração. Naquela época, as peças vinham diretamente da Europa.

 

PARA PROFISSIONAIS

A durabilidade desse revestimento também depende da instalação e da manutenção corretas. Embora pedreiros possam fazer o assentamento, o mais indicado é optar por instaladores experientes, credenciados pelos fabricantes. Isso porque, como se trata de produto artesanal, as peças podem vir com espessura levemente desigual, e só uma mão de obra especializada saberá trabalhar o nivelamento do contrapiso. "E não é só isso. Para que o ladrilho não manche com a umidade do solo, o contrapiso deve receber uma camada de cimento estrutural branco e ser impermeabilizado", alerta o empreiteiro Paulo Marcio Dias.

 

 

As fábricas têm moldes de desenhos dos mais variados estilos – dos geométricos aos rebuscados – e a combinação de cores varia conforme o pedido. Mas, se a ideia for ter uma peça realmente única, é possível encomendar moldes especiais, cujos preços variam de R$ 300 a R$ 2 mil, conforme a complexidade do desenho. O preço médio do ladrilho, em geral, varia de R$ 50 o m² (liso) e R$ 150 o m² (decorado). A instalação, incluindo contrapiso e impermeabilização das peças, sai por volta de R$ 35 o m² e o trabalho costuma render de 30 m² a 40 m² por dia, conforme a paginação.

 

CUIDADOS NA LIMPEZA

Contratar um bom profissional para instalar o ladrilho é o primeiro passo para que o piso fique bonito. Mas a manutenção correta garante a boa aparência ao longos dos anos. Marcello Ruocco, da Ladrilar, dá dicas para a limpeza.

 

Bastante poroso, o ladrilho absorve facilmente a sujeira. Por isso, já instalado, é impermeabilizado com resina indicada pelo fabricante – a Ladrilar aconselha uma resina acrílica à base de água, que não altera a aparência do piso.

 

No dia a dia, a limpeza deve ser feita somente com água e sabão em pó neutro. Usada periodicamente, uma cera incolor líquida forma uma película que ajuda a manter a impermeabilização.

 

Jamais devem ser usados produtos com ácido, como limpa-pedras. Eles destroem a camada superficial do ladrilho, que fica áspero e mais propício ao desgaste e à absorção de sujeira.