Distribuição bem dosada aumenta sensação de amplitude em apartamento de 35 m²

Gabriel Navajas, especial para o Estado - O Estado de S.Paulo

Amplo, enxuto e arejado, imóvel tem muita funcionalidade e conforto

Ao olhar pela primeira vez para este apartamento de 35 m², localizado no bairro do Panamby, em São Paulo, duas coisas chamam a atenção: a não divisão dos espaços e o predomínio do cinza. Ambos são responsáveis pelo ar moderno e acolhedor do local. Elaborada pela designer de interiores Mariane Cunha, a proposta, finalizada em 45 dias, foi pensada para receber um casal jovem, que gostaria de contar com uma cor preponderante em todos ambientes.

Boa divisão dos ambientes dá mais sensação de amplitude

Boa divisão dos ambientes dá mais sensação de amplitude Foto: Adriano Escanhuela

“Ficou atual, fala com os dias de hoje. Usamos vários tons de cinza, e isso não pesou. Deixamos uma mistura com preto. A gente fez um jogo de cores, que casaram com as que usamos nos acessórios. Isso acabou funcionando bem. Sobre as paredes, a gente trabalhou com tons de cinza um pouco mais escuros em umas, um pouco mais claros em outras. Percebe-se uma mudança, uma demarcação, mas sutil. Ficou agradável”, explica Mariane Cunha.

Além do predomínio do cinza, a designer de interiores não abriu mão de uma distribuição adequada à atualidade, que se casou perfeitamente com a escolha das cores. Por não ser compartimentado (não há paredes que dividem os cômodos), o imóvel pode ser considerado um estúdio. E, para não perder espaço, Mariana não mediu esforços. Até a iluminação foi presa na paredes, onde ganchos de madeira, que também e decoram.

“Nós setorizamos bem e ficou funcional. Toda a marcenaria foi pensada para não pesar muito nos custos. A parede que vem da cozinha só mudou de revestimento. Há um unidade visual, mas não quebramos muito. Em espaços pequenos, é importante optar por soluções capazes de ampliar”, diz.

Ainda assim, a distribuição contempla todas as necessidades do dia a dia, sem abrir mão do conforto e da funcionalidade. “Tinha de ser algo que reunisse tudo o que um apartamento maior tem. Embora ele tivesse uma área toda aberta, a gente quis demarcar bem o dormitório. Na entrada, existe a demarcação da cozinha. Já outro espaço, já previsto em planta virou multifuncional – home office ou sala refeições rápidas”, conta.

Mariane revela que até um móvel sob medida foi desenhado para levar ainda mais praticidade ao local. “Ele é versátil: tem roda, anda, vai para o terraço, circula”, ressalta.

A varanda gourmet também foi bem aproveitada. A ideia, ali, foi adaptá-la ao convívio e para refeições. “Já tinha uma previsão de bancada gourmet, de churrasqueira. Por outro lado, existia a necessidade de uma área de lavanderia, que teve de ser providenciada”, afirma a designer de interiores. 

Como uma das grandes questões quando o assunto é a área de serviço é esconder as roupas no varal, quando se recebe os amigos, o projeto incluiu um “esconderijo”. 

“Precisávamos camuflar com alguma coisa que não fosse uma estrutura fixa e pesada, mas que pudesse esconder o varal na hora de receber visitas”, pondera. “O programa que recebemos do cliente poderia nos conduzir a um tipo de ocupação bem mais complexa. A gente optou por tons mais leves, suaves, pontuando com cores nos acessórios, para ganharmos respiro, uma atmosfera mais leve. Acho que chegamos lá”, conclui a designer.