Design para saborear

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Eleito designer do ano pela Maison & Objet, em Paris, designer propõe instalação inspirada no chocolate

O designer canadense Oki Sato, do estúdio Nendo

O designer canadense Oki Sato, do estúdio Nendo Foto: Marcelo Lima

Graduado em arquitetura e atuando em Tóquio e Milão, o canadense Oki Sato despontou para a cena internacional em 2004, quando desembarcou no Salão Satélite, levando, entre outras criações, a luminária Serene: um fino disco de metal, que, flutuando sobre uma mesa, emitia não apenas luz, mas também a suave sonoridade de uma chuva de verão. 

Demonstrando uma visão de design enraizada em seu tempo, mas sem abrir mão de sua herança nipônica, a coleção lhe rendeu, de imediato, o convite para desenhar uma poltrona para a italiana Cappellini e, desde então, ele nunca mais parou. Nem de produzir, nem de acumular prêmios internacionais. O mais recente: Designer 2015 da Maison & Objet, em Paris, onde ele concedeu esta entrevista.

O senhor é mais conhecido pelo nome de seu escritório, Nendo, do que pelo seu próprio. O que significa a palavra e por que ela foi escolhida? 

Nendo é um tipo de massa de modelar muito usada pelas crianças japonesas. Escolhi esse nome pela sua sonoridade, mas também por sugerir flexibilidade, simplicidadel e permanente capacidade de se reinventar, qualidades que procuro sempre imprimir a meu trabalho. Penso que o design deve ser funcional, já que não é arte. Mas, igualmente, que deve proporcionar momentos de felicidade, surpresa e, por que não, humor.

Chocolates desenhados pelo designer Oki Sato, especialmente para a mostra na Maison & Objet

Chocolates desenhados pelo designer Oki Sato, especialmente para a mostra na Maison & Objet Foto: Marcelo Lima

Móveis do estúdio Nendo, produzidos com acabamento em textura e tons de chocolate, especialmente para a mostra em Paris

Móveis do estúdio Nendo, produzidos com acabamento em textura e tons de chocolate, especialmente para a mostra em Paris Foto: Marcelo Lima

Como recebeu a indicação de Designer do Ano outorgada pela Maison & Objet?

Sem dúvida, fiquei feliz e surpreso. É uma grande honra, mas devo dizer que de nenhuma maneira isso muda a forma como eu vivo e penso o design. De fato, me agrega ainda mais responsabilidade e mais trabalho, acredito.

Qual o conceito da instalação desenvolvida para a feira francesa?

Minha ideia não foi apenas mostrar peças de design, mas, efetivamente, oferecer a possibilidade de se saborear o design Nendo. Por isso, começamos por desenhar pequenos chocolates. A ideia era sugerir uma forma de se consumir design com os cinco sentidos. Em seguida, imaginei criar uma área de estar onde os visitantes pudessem degustar os bombons. Então pedi para algumas empresas italianas que produziram móveis meus nos últimos anos que me enviassem peças com revestimentos que simulassem a guloseima. Por fim, tive a ideia de criar um entorno com hastes metálicas de diferentes alturas, sugerindo que as pessoas estivessem imersas em chocolate. Acho que, em meio a toda a oferta digital, mais do que nunca o design é algo para se sentir. Essa instalação fala disso. A experiência é o que importa. Ainda mais quando ela provoca um sorriso no final.

Peg, sofá para a Cappellini

Peg, sofá para a Cappellini Foto: Marcelo Lima