Decoração com bossa

Marcelo Lima - Impresso

Empresária transformou em negócio o antigo hobby de criar móveis

Mesa lateral Kitsch Romance, de MDF com estampa impressa

Mesa lateral Kitsch Romance, de MDF com estampa impressa Foto: Divulgação

Tudo começou com o desejo da então engenheira civil Pati Penna de decorar sua casa com móveis e objetos que não encontrava no mercado. “Resolvi encarar o desafio de fabricar as peças para compor os ambientes da minha casa. Já havia feito objetos exclusivos para minha família e amigos, mas daí a lançar uma marca me parecia algo distante”, lembra Pati, que, mesmo diante da insistência dos mais próximos, relutava em transformar seu hobby em efetivo negócio. 

“Quando decidi lançar a My Gipsy Bossa, sabia que meus móveis não agradariam a todos por serem muito estampados e marcantes. Ainda assim, sabia que existia um público aberto a esse tipo de produção e decidi ir adiante”, conta a empresária um ano após a abertura de seu e-commerce, onde comercializa móveis sob encomenda. “Recebo tantos e-mails de pessoas agradecendo pelo meu trabalho, enviando fotos de suas casas decoradas com móveis, segundo eles, mais coloridos e inspiradores, que sinto ter tomado a decisão certa”, diz ele nesta entrevista ao Casa.

Como você compõe seus móveis?

Sou engenheira civil, o que facilita muito o desenho e a concepção das peças. Minha casa está cheia de protótipos que desenhei e fabriquei, alguns foram de fato produzidos, outros não. É um processo de tentativa e erro. Acredito que minha formação me direcione a desenhar móveis que se encaixem bem em pequenos ambientes, mas isso não quer dizer que eu não possa me dedicar a projetos exclusivos, que também adoro fazer. Atualmente, estou projetando uma cozinha inteiramente estampada para uma cliente. Mal consigo dormir de tanta empolgação.

Como são definidos os temas das coleções?

Sou apaixonada pelo tecido chita, que aparece em muitos dos meus trabalhos. Uma homenagem à artista mexicana Frida Kahlo deu origem a outra estampa. Recentemente fui para os Andes e decidi fazer disso o tema da minha próxima coleção. Então, não procuro checar que cores estão “em alta” ou quais serão “tendência” na próxima estação, pois isso limitaria demais as minhas criações. Prefiro sempre optar por temas que de alguma forma me dizem respeito.

Existe alguma temática ou época específica que acabe sendo privilegiada? 

A primeira coleção da My Gipsy Bossa trouxe móveis com pés palito, bem anos 50. A receptividade foi grande, o que acabou por ligar, de certa forma, a década à marca. Isso não significa, no entanto, que se trata de uma regra a ser seguida. Para o ano que vem, por exemplo, pretendo apresentar minhas primeiras peças ligadas ao universo lúdico infantil. É esperar para ver.