Cores e ambiente descontraído em uma mistura paulista e carioca

Gabriel Navajas - Especial para o Estado

Projetado pelo arquiteto Guilherme Torres, apartamento ganhou um tom de praia em plena capital

A ideia era trazer para este apartamento de 150 m², localizado no Brooklyn, em São Paulo, um clima de praia. Dar ao local um pouco da personalidade de seus proprietários. Ela, do Rio de Janeiro. Ele, da capital. Para que a mistura fizesse efeito, e o casal de 20 e poucos anos tivesse os seus desejos atendidos, o arquiteto Guilherme Torres realizou uma reforma completa.

“Ele é bem colorido, com madeira clara. Uma vibe mais descontraída. É um apartamento de três quartos. Refizemos banheiro, cozinha, varanda, tudo”, conta Torres. “Acabou casando mais com o perfil dela, que queria algo alegre, informal. E ficou assim.”

Para reforçar o estilo praiano, o arquiteto priorizou cores que deixassem o ambiente mais claro, somando outros itens que também trazem essa característica ao espaço.

Cores e claridade deram um estilo praiano ao apartamento.

Cores e claridade deram um estilo praiano ao apartamento. Foto: MCA Estúdio

“As cores aparecem bastante na decoração, deram uma cara bem clara para o apartamento. Toda parte de madeira é bambu. O mobiliário também é colorido. E isso casou muito bem com as obras de arte. Tudo bem leve”, detalha o profissional.

O arquiteto precisou de seis meses para concluir toda a reforma do apartamento, feita no ano passado. Segundo ele, foi uma fase tranquila, sem grandes dificuldades: “Com um cliente bem resolvido, bem objetivo como eles eram, foi um processo muito fácil.”

Entre os desafios que o arquiteto enfrentou durante a reforma, um dos que mais exigiram atenção foi um pilar no centro da sala. A solução encontrada agradou aos moradores e se encaixou perfeitamente na proposta. “Acabamos transformando num local para a televisão”, explica. 

Um outro caminho encontrado pelo profissional para adequar os ambientes ao pedido feito pelos proprietários foi fugir do convencional. Assim, alterações no projeto inicial tornaram-se um diferencial.

“Em um apartamento normal, você entraria pelo living e teria a mesa próxima à parte dos quartos. Nós invertemos. Quando você entra, tem essa mesa de refeições, o bar e o sofá, que está na direção dos quartos. Criamos uma solução mais eficiente – para ter um aproveitamento melhor, uma sensação de amplitude espacial maior”, observa Torres.

A composição dos outros ambientes também exigiu algumas alterações na planta para proporcionar funcionalidade ao apartamento, sem perder a identidade que o casal desejava.

“Precisávamos melhorar a área de closet, os banheiros. Adequamos a varanda à sala. Nós conseguimos solucionar algumas coisas de uma maneira bacana, como tirar as máquinas de ar-condicionado da varanda e levar para a lavanderia. Fizemos uma engenharia de ajuste fino para deixar o apartamento com um ar mais sofisticado”, conta. “O quarto intermediário era de hóspedes, para quando vinha alguém visitar. Ficou tudo muito funcional, mas obedecendo ao que eles queriam ter – um bom closet.”

Destaque na decoração, o revestimento da parede, além de contribuir para a parte estética, proporcionou ainda mais funcionalidade à residência. “Na verdade, ele camufla vários armários. A parede abre, e há armários ocultos. Existem várias soluções que não estão aparentes”, revela Torres.

A área da varanda também foi alterada. Além de deixar o ambiente mais prático, isso transformou o local em uma ótima opção para receber os amigos. 

“Outra coisa que fizemos e que ficou bacana foi criar, no lugar da varanda gourmet, uma bancada de mármore e, nela, uma pia. Embaixo, estão a adega e a geladeira. Ficou um canto de bar muito bem resolvido. Desta maneira, conseguimos dar uma solução interessante para isso”, comenta. 

Sempre ouvindo as ideias dos moradores, Torres encontrou algumas alternativas que valorizaram ainda mais algumas preferências dos dois jovens. Como as obras de arte. Atendendo a um pedido deles, o arquiteto optou pela instalação de um sistema que desse mais destaque aos quadros.

“A iluminação contou com algumas sugestões do casal – por exemplo, que tivesse trilhos. Eles queriam dar uma atenção especial a eles (os quadros). Foi a melhor saída, pelo fato de (o trilho) ser ajustável”, afirma. “Aproveitamos um pequeno corredor que dava para a cozinha e transformamos em um hall. Fizemos mudanças para deixar o apartamento maior.”

Optar por armários embutidos – já que as paredes de madeira “escondem” alguns deles – também colaborou bastante para que o apartamento tivesse mais praticidade e, ao mesmo, aconchego e beleza. 

“Trabalhamos com muitas portas embutidas porque você consegue anular a visão delas. Fica uma coisa bem mais delicada. Essa solução é sempre muito prática, torna todo o ambiente muito funcional”, diz o arquiteto.