Conheça os novos talentos do design

Marcelo Lima - O Estado de São Paulo

Ao completar 20 anos, o Salão Satélite, mostra que acontece paralelamente ao Salão do Móvel de Milão continua a colocar em evidência a profução de jovens profissionais e estudantes de todo mundo

Vista do Salão Satélite 2017, mostra que acontece nas dependências do Salão do Móvel de Milão

Vista do Salão Satélite 2017, mostra que acontece nas dependências do Salão do Móvel de Milão Foto: SALÃO DO MÓVEL DE MILÃO

Ao longo dos anos, o Salone Satellite, mostra que acontece anualmente nas dependências do Salão do Móvel de Milão, tem se constituído em um verdadeiro trampolim para o sucesso para toda uma geração de jovens designers. Além de uma fonte permanente de talentos e inspiração para fabricantes de móveis e objetos de todo mundo.

Premiada internacionalmente, a iniciativa, instituída por sua curadora, Marva Griffin, em 1988, é dirigida a jovens designers de todo mundo, obrigatoriamente menores de 35 anos, que, uma vez selecionados por uma comissão julgadora, passam a ter a oportunidade de expor seus trabalhos no salão, de forma individual ou coletiva, durante três edições do evento. 

Em seus primeiros anos de carreira, por lá já passaram, entre outros, o francês Patrick Jouin e o hoje mundialmente aclamado japonês Oki Sato, do Nendo, hoje o designer de maior projeção internacional. Além deles, em cada uma de suas edições, o Satélite também tem procurado colocar em evidência o trabalho de estudantes de renomados centros de ensino de design de todo mundo.

Única a acumular duas participações consecutivas, o Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, este ano também estava por lá. “Nossa seleção de produtos procurou privilegiar a questão da brasilidade, a manifestação de nossa cultura, material e imaterial”, conforme afirmou a diretora da instituição, Patrícia Cardim. 

"Trata-se da nossa 20ª edição e a data merecia uma comemoração à altura”, afirmou Marva durante a abertura da exposição “Salão Satélite, vinte anos de criatividade”, que teve curadoria do crítico de design Beppe Finessi (ver. pág.18) e reuniu produtos já apresentados no Satélite e hoje já colocados em produção.

Outro destaque do ano, o Salone Satellite Award, que a cada edição se propõe a premiar os melhores projetos entre aqueles considerados mais relevantes em termos de concepção e produção, contou com 108 participantes.

A cadeira Comma, do estúdio Pistacchi Design, de Taiwan, uma espécie de assento escultural, feito a partir de materiais contrastantes levou o primeiro prêmio, seguido do chinês Edmond Wong, autor do banco Dex, a um só tempo banco de dois lugares ou cadeira individual e pelarussa Tanya Repina, que apresentou a série EO, composta por painéis e móveis acústicos, feitos de material sustentável, biodegradável e repelente.