Cinco ações caseiras que a natureza agradece

Elcio Padovez, especial para - O Estado de S.Paulo

Ideias simples e que aproveitem os materiais tornam a casa mais sustentável e com menor produção de resíduos

A ideia de se morar em uma casa mais sustentável e antenada com a natureza pode parecer, muitas vezes, criar um jardim dentro de casa e está tudo certo. Mas nem sempre é por ai. Ações sustentáveis e simples, como não produzir tantos restos de construção ou reforma da casa ou do apartamento, e aproveitar materiais como garrafas pet e tubos de PVC para decorar a casa e a tornar mais “verde”, podem ser mais eficazes para a preservação ambiental e a diminuição do lixo que é jogado em aterros sanitários. Confira abaixo cinco dicas sustentáveis para se fazer em casa e que a natureza vai dizer: muito obrigado!.

1. Pastilhas feitas de garrafa pet

Fáceis de encontrar no mercado, esta variedade de pastilha para uso tanto em cozinha como em banheiros ou no lavabo tem em sua constituição 85% de garrafas pet recicladas, e é uma ótima escolha para quem não quer os modelos mais tradicionais, feitos com vidro ou cerâmica. Para se fazer a aplicação correta, é necessário que a superfície seja totalmente lisa e pelo fato de as pastilhas refletirem luz, deve-se escolher um rejunte acrílico da cor dela, para que a parede não apareça.

As pastilhas de garrafa pet são uma ótima opção sustentável para a casa

As pastilhas de garrafa pet são uma ótima opção sustentável para a casa Foto: Elcio Padovez

2 . Revestimento de vidro de lâmpada florescente

Quando uma lâmpada queima, que destino dar a ela além de ir para o lixo? Ela pode continuar dentro da sua casa, mas desta vez, como forma de um revestimento. A parede da foto parece um tijolo queimado, mas não é e ele é feito assim: os restos de lâmpadas florescentes, junto com uma mistura de barro e cimento, vira uma espécie de tijolinho, que pode ser aplicado sem rejunte à parede. É um processo trabalhoso e que exige auxílio de um profissional, mas que terminado, dará um charme único no cômodo, além de uma atmosfera mais amiga da natureza.

Este tijolinho à vista é uma mistura de restos de lâmpadas florescentes, barro e cimento

Este tijolinho à vista é uma mistura de restos de lâmpadas florescentes, barro e cimento Foto: Elcio Padovez

3. Cortina de PVC

Ideal para ambientes mais abertos, como a sala de TV e a de jantar. Este tipo de cortina, 100% produzida por canos de PVC reciclados, evita propagação de chamas, e também é mais leve e impermeável do que as cortinas feitas de outros materiais.

Este tipo de cortina evita propagação de chamas e é mais leve e suja menos do que tecidos mais tradicionais

Este tipo de cortina evita propagação de chamas e é mais leve e suja menos do que tecidos mais tradicionais Foto: Elcio Padovez

4. Pneu triturado para vasos e o jardim

Gosta de cultivar um jardim ou vasos grandes em casa, mas não gosta da sujeira que o cascalho ou o pedrisco geralmente fazem? Os restos do pneu do carro ou da bicicleta que você não usa mais podem ser a solução. Ao triturar a borracha, ela se transforma em pequenos fiapos emborrachados, que ao serem aplicados sob a terra, continua retendo a umidade para as plantas e suas raízes. E se você tiver crianças, porque não colocar na área externa “bancos de pneus” que servirão tanto para brincadeiras quanto local de descanso.

O pneu triturado substitui o cascalho ou pedrisco, e tem como vantagem fazer menos sujeira

O pneu triturado substitui o cascalho ou pedrisco, e tem como vantagem fazer menos sujeira Foto: Elcio Padovez

5. Escolha eletrodomésticos parceiros do seu bolso

Ao comprar um eletrodoméstico, não vá só pelo design. Nesta escolha, um detalhe mais sustentável vai fazer toda a diferença: os produtos com classe energética A ++ ou A +++ consomem até 70% menos energia em comparação com os de classe A. Ao longo dos meses, a conta de energia deve diminuir e tanto o bolso quanto a natureza vão agradecer. Investir em lâmpadas de LED também é uma jogada inteligente. Elas custam um pouco mais do que as comuns, mas gastam até 80% menos energia, o que a longo prazo representa outra economia significativa.