Bem longe da cidade

BETO ABOLAFIO - O Estado de S.Paulo

Batizado de Fuori Città, projeto de João Armentano convida a deixar de lado - e com estilo - o estresse

Nesta edição, João Armentano vem com força. É que, embora correto, o ambiente dele passou meio despercebido na mostra do ano passado. Seu projeto conceitual de uma tenda chama-se Fuori Città. O nome diz tudo. "Imaginei um lugar para poder ficar distante da agitação da metrópole", tenta explicar o profissional. Além disso, a concepção emprega elementos sustentáveis, que vão ao encontro do tema proposto pelo evento.

A partir de um quadrado perfeito de 12,5 m x 12,5 m, Armentano projetou uma estrutura metálica com pintura de efeito enferrujado. Ela serve de base tanto para o teto de lona impermeável - produzida, segundo o fabricante, de acordo com os preceitos da sustentabilidade - quanto para as cortinas de voile, com um quê diáfano. "Com isso, vem a integração entre o interior e exterior", explica ele, que obteve ainda boa dose de iluminação natural e ventilação cruzada. Bacana, o piso é de cimento queimado feito com barro do terreno.

Cada um dos vértices ganhou função específica. O primeiro deles, na frente, à esquerda, foi "engolido" pelo espelho d?água que faz parte do jardim de Luiz Carlos Orsini, com pegada tropical-oriental. O segundo, também na entrada, revela uma espécie de varanda. Os dois últimos, ao fundo, destinam-se à cozinha e à área da banheira. O centro integra living, quarto e canto de leitura.

Muitas peças de lojas especializadas em mobiliário vintage compõem o décor, que também revela alto design. É o caso do sofá e da cama, criados por Antonio Citterio para a Maxalto. Chama atenção o jeito com que João dispõe tanto objetos quanto mobiliário. Exemplo? Veja as cadeiras em torno da mesa atrás do sofá.

"Quando anoitece, a iluminação deixa tudo sedutor", conta Armentano. De noite ou dia, a tal tenda de natureza escapista parece mesmo ideal ao dolce far niente - para usar uma expressão em italiano, idioma tão caro ao arquiteto.