Arrojo no projeto das duas paredes

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Um projeto simples - mas novamente de implantação nada convencional -, a Casa das Duas Paredes, no interior de São Paulo, foi pensada para ampliar as condições de conforto térmico dentro da morada, por meio da integração com o local da construção, um amplo terreno em desnível antes utilizado como pasto. "Diante da monotonia da paisagem, optamos por ampliar a relação da casa com seus moradores", diz Rodrigo Marcondes Ferraz.

As paredes verdes, longe de um recurso de estilo, foram implantadas para funcionar não só como elementos estruturais e muro de arrimo: na prática, delimitam um autêntico funil, por onde o ar é canalizado, expandindo as condições de ventilação no interior da casa.

 

Veja também:

linkEra uma casa muito engraçada...

linkArquitetura do social

linkImersa na paisagem

linkTime encara frio da Rússia

linkUm trio e uma só meta

A parede oeste protege a casa do sol poente, mais quente, e fecha o visual em relação às construções vizinhas. Já a parede leste tem diversas aberturas e varandas para receber o sol da manhã. Nos fundos, uma escadaria liga o jardim do subsolo aos caminhos projetados na parte superior do terreno. No nível mais baixo, entre as paredes, um espelho d'água é circundado por árvores e plantas. No intermediário, em três volumes de estrutura metálica, estão a sala, a cozinha e os quartos, totalmente envidraçados. Nos espaços abertos, avista-se o jardim.

Uma das extremidades da casa com escada de acesso esterna ao primeiro pavimento