Apartamento carioca se reinventa com base neutra e uso pontual das cores

João Abel* - O Estado de S. Paulo

Com nova distribuição especial, imóvel foi pensado para ser explorado em todas as suas possibilidades

Marcenaria se faz presente na estante, mesa de centro e poltronas da sala de estar, que conta com estampas coloridas nos pufes e almofadas; a abertura para a varanda dá a dimensão da natureza em torno do imóvel

Marcenaria se faz presente na estante, mesa de centro e poltronas da sala de estar, que conta com estampas coloridas nos pufes e almofadas; a abertura para a varanda dá a dimensão da natureza em torno do imóvel Foto: Denilson Machado/MCA Estúdio

Encontrar um imóvel que fosse confortável e útil para toda a família, em todos os seus espaços: foi este o objetivo dos moradores deste apartamento de 200 m² no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro. Para isso, dois aspectos foram fundamentais: uma maior integração com ambientes antes pouco usados e uma paleta de cores mais vibrante, aplicada, indistintamente, a móveis e objetos.

A sala de estar, sem divisórias, se integra à área de refeições e tem ampla abertura para a varanda. Já um dos quartos de hóspede existentes na planta anterior se transformou em uma área de brincar para os dois filhos dos moradores. “Tudo foi pensado para deixar a casa com funcionalidade e bem-estar”, afirma a arquiteta Paula Neder, autora do projeto.

Tons mais claros se fazem presentes com força no piso uniforme de porcelanato e na cozinha, onde ladrilhos de formato retangular e uma bancada inteiramente brancas foram instalados. Mas é na execução pontual de cores fortes que o apartamento ganha destaque.

“É uma característica do meu trabalho: partir de um pano de fundo neutro e dar um colorido a superfícies específicas como estofados, almofadas e itens decorativos”, detalha Paula. 

O azul foi a tonalidade escolhida pra conferir unidade a todo imóvel, pontuando o tapete da sala, o criado-mudo, os travesseiros do quarto do casal e também os móveis da varanda. “É uma cor que não cansa, além disso está presente em objetos que podem ser trocados com facilidade caso os moradores queiram alterar o ‘layout’”, acrescenta ela.

Outro ponto bem aproveitado por Paula foi a área verde que envolve o local. “Além de espalharmos plantas pelo apartamento, a varanda está de frente para uma rua, de onde vemos as copas das árvores. Tudo isso cria uma atmosfera bem fresca”, opina a arquiteta, que estendeu o conceito de natureza ao papel de parede utilizado no lavabo, para aumentar ainda mais a sensação de continuidade.

A generosa iluminação natural colabora para uma maior funcionalidade do apartamento. “Agora, ele pode, de fato, ser desfrutado em todas as suas possibilidades. E por toda a família”, finaliza Paula.

*Estagiário sob supervisão do editor de suplementos Daniel Fernandes