A conquista de dois amigos emociona

Adriana Adam - O Estado de S.Paulo

.

Em 1987, depois de dois anos de pesquisa e desenvolvimento, lancei a coleção Os Modernos Brasileiros pela Nucleon 8, em São Paulo, da qual era proprietária. Eram móveis de Lina Bo Bardi, Flávio de Carvalho, Paulo Mendes da Rocha, Lasar Segall, Warchavchik e Jonh Graz. Foi uma atitude arrojada para a época, pois o mercado só pensava em móveis importados. Imperava o design italiano.

 

Veja também:

linkEu campano, tu campanas...

linkEntrevista com os Irmãos Campana: 'É subversão'

 

 

A coleção Os Modernos Brasileiros ficava no showroom de arquitetura de Flávio de Carvalho, na Rua Ministro Rocha de Azevedo; as cadeiras dos Campanas, no showroom da Vila Madalena – um galpão que abrigava bem aquelas experimentações.

 

Desde então, Fernando e Humberto começaram a vender bem e resolveram caminhar pelas próprias pernas. E voaram alto.

 

Uma reportagem publicada na revista italiana Domus, sobre o trabalho que fizeram juntos na coleção batizada de Des-Confortáveis, deu início à caminhada internacional dos mesmos. Na verdade, muito me emociona quando vejo todas as conquistas dos dois designers e amigos.

 

A amplitude que os trabalhos deles atingiram – tão apreciada e valorizada pelos maiores críticos de design do mundo – mostra que a capacidade aliada à ousadia e ao fazer rompeu as barreiras do "status euro". Sem cópias e com muita inspiração e arte.

 

*Adriana Adam, designer, foi uma das incentivadoras da proposta dos irmãos Campana