Dicas de especialistas para começar sua coleção de orquídeas

Natália Mazzoni - O Estado de S.Paulo

Colecionadores indicam como escolher a planta ideal para sua casa e os cuidados básicos para manter a orquídea bonita e saudável

De floração abundante, Dendrobium Stardust, de Sergio Oyama

De floração abundante, Dendrobium Stardust, de Sergio Oyama Foto: Zeca Wittner/Estadão

Onde comprar

Leia também:

Colecionadores preferem comprar orquídeas diretamente de produtores e a melhor forma de chegar até eles é frequentando exposições e eventos ligados ao assunto. “É possível comprar até pela internet, mas, definitivamente, não é uma maneira segura de adquirir um bom exemplar”, diz o orquidófilo Sergio Oyama. Outra boa maneira de comprar orquídeas é em orquidários, floriculturas especializadas só nesse tipo de planta

Como comprar a planta

Compre orquídeas floridas, assim você tem certeza de como é sua flor. Veja se a planta está firme no vaso, isso indica que ela foi bem plantada. “Quanto mais brotos e raízes novas, melhor”, aconselha o orquidófilo Sergio Oyama. Se você optar por cultivar uma muda, saiba que as flores podem demorar até dois anos para aparecer. “Nesse caso, o vendedor precisa especificar não só o tipo de orquídea como também o tamanho da planta, o que vai fornecer uma base de quando a orquídea estará apta a florescer.”

Como começar a coleção

O primeiro passo é analisar as condições de ambiente da sua casa. Apartamentos em andares altos costumam ter bastante incidência de vento, nesse caso, o melhor é optar por epidendruns e cymbidiuns. As terrestres, como arundinas, aguentam bem ambientes ensolarados, ideais para quintais descobertos e varandas de face norte. Caso sua casa tenha menos luz, prefira as ludisias e as phalaenopsis. Se você tiver um quintal grande, é possível se arriscar com qualquer espécie. “Crie microclimas em diferentes lugares. Assim, você consegue cultivar orquídeas de qualquer tipo”, diz o biólogo e orquidófilo Sergio Oyama

O Paphiopedilum híbrido, do Orquidário Morumby. Suas flores costumam durar por muito tempo

O Paphiopedilum híbrido, do Orquidário Morumby. Suas flores costumam durar por muito tempo Foto: Zeca Wittner/Estadão

Florações em cada estação

Primavera: Dendrobium chrysanthum, Oncidium flexuosum, Laelia purpurata, Brassia chloroleuca, Oncidium cebolleta

Verão: Cattleya híbrida, Dendrobium phalaenopsis, Oncidium pumilum, Doritis pulcherrima

Outono: Epidendrum longispata, Phalaenopsis amabilis, Cymbidium giganteum, Gomesa crispa

Inverno: Cattleya trianae, Zygopetalum crinitum, Dendrobium superbum, Dendrobium nobile, Phalaenopsis schilleriana

 

Cuidados básicos

Ventilação

Muito vento pode prejudicar sua orquídea, fazendo com que a água da rega seque rapidamente. Quando a orquídea estiver florida, procure proteger a planta do vento para as flores não se soltarem dos galhos

Luz

Iluminação natural é muito bem-vinda, mas o sol pleno direto pode queimar as folhas. Use cortinas ou telas para protegê-las em ambientes abertos. Dentro de casa, prefira deixá-las perto da janela, isso garante que elas tenham luz na medida

Umidade

Cultivá-las em ambientes muito secos pode prejudicar seu crescimento e floração. Quando esse for o caso, aumente moderadamente a quantidade de água que a planta recebe na rega

Rega

Não existe receita, é preciso tocar o substrato e sentir se está muito seco. Orquídeas precisam de bastante água, a rega deve ser frequente, mas, se após uma semana, ela ainda estiver muito úmida você pode estar colocando água demais ou usando o substrato errado. “A combinação de vaso de plástico e musgo sphagnum é uma das que mais retêm umidade, o que é ideal para lugares com muito sol e vento. Se esse não for o seu cenário, adicione casca de pinus para que o vaso fique seco mais rápido”, aconselha Sergio Oyama

Adubo

O mais utilizado é o NPK 10 30 20. Aplique pela manhã ou no fim da tarde, quando o sol estiver ameno e evite que a substância toque nas flores ou botões. O biólogo Sergio Oyama costuma aplicar o adubo semanalmente, em quantidade menor do que indicado na embalagem do produto, e alerta que o excesso de adubo é mais prejudicial do que a falta dele

Poda

É aconselhável podar as hastes que ficam secas, já que elas podem atrair fungos e bactérias. Hastes antigas podem gerar novas flores, mas elas não costumam ser tão vistosas, por isso, alguns cultivadores preferem podá-las para poupar a energia da orquídea e esperar por uma nova floração. Na poda, esterilize a tesoura e use canela como cicatrizante

Substrato

Replante a orquídea quando notar que o substrato está deteriorado. Um método básico para plantar orquídeas em vaso é usar uma camada de isopor no fundo do vaso, seguida de uma de cascas de madeira, outra de musgo e, por cima de tudo, mais cascas para arrematar

Do Orquidário Morumby, a Phalaenopsis híbrido é chamada de orquídea-borboleta 

Do Orquidário Morumby, a Phalaenopsis híbrido é chamada de orquídea-borboleta  Foto: Zeca Wittner/Estadão

Principais erros

Pouca rega: As orquídeas precisam de bastante água. Se você deixar esse tipo de planta secar, será difícil trazê-la de volta

Molhar as flores: Jogar água diretamente nas pétalas pode provocar o surgimento de fungos, que formam manchas marrons

“Perturbar” sua floração: Não é indicado podar ou transferir a orquídea para outro vaso nesse período delicado de seu ciclo de vida

Errar o substrato: Argila expandida e fibra de coco prensada não são indicados para orquídeas, pois possuem elementos tóxicos prejudiciais à planta

 

Olhe para ela

- Folhas escuras dizem que sua orquídea precisa de mais luz

- Sinta o peso do vaso, com o tempo você vai saber se ele está leve demais, sinal de que a planta precisa de mais água

- Crescimento acelerado é sinal de que a planta está em busca de mais luz

- Folhas amareladas ou muito claras denunciam excesso de sol

- Quanto maior a folha, mais adulta está sua orquídea e mais flores ela vai dar

- Flores vistosas são sinal de que sua planta está saudável

- Aparecimento de manchas escuras nas folhas é alerta para fungos. Procure por um fungicida para resolver o problema

A Portinara Love Dressy Apple Pie produz várias flores em cada haste. Parte da coleção de Sergio Oyama

A Portinara Love Dressy Apple Pie produz várias flores em cada haste. Parte da coleção de Sergio Oyama Foto: Zeca Wittner/Estadão

4 mitos sobre orquídeas

Orquídeas são parasitas?

Não. No parasitismo, uma espécie tira proveito da outra causando-lhe danos. No caso da orquídeas, elas não causam prejuízo algum quando se apoiam nos troncos das árvores

Existe orquídea azul?

Essa cor não é comum na natureza. Para que as flores fiquem azuis, os produtores fixam um pequeno recipiente com pigmento orgânico no caule da planta. A próxima floração virá em sua cor natural

É bom usar pedras de gelo para regar as orquídeas?

Não. Esse mito vem da ideia equivocada de que a planta não precisa de muita água. Colocar um cubo de gelo sobre o substrato não vai fornecer a quantidade adequada de água de que a orquídea precisa

Orquídeas são plantas tropicais?

A maioria das espécies é de regiões localizadas entre os trópicos, mas a planta pode ser encontrada em todo o mundo, exceto nas regiões glaciais

Confira nosso bate-papo com o orquidófilo Sergio Oyama: