Você fica surdo durante os voos de avião? Descubra o motivo

Felipe Laurence* - O Estado de S.Paulo

Veja também algumas dicas para não ficar com os ouvidos tampados

Dores no ouvido em voos de avião são mais comuns do que se imaginam.

Dores no ouvido em voos de avião são mais comuns do que se imaginam. Foto: Pixabay/geralt

Você já ficou de ouvidos tampados após voar de avião? Isso é uma reação comum para muitas pessoas e ocorre por conta da mudança de pressão interna no canal auditivo, em especial nas decolagens e aterrissagens de voos comerciais. Há fatores que predispõem o passageiro a essa situação, tais como inflamação, congestão ou secreção nas vias aéreas superiores (nariz, seios paranasais, Tuba de Eustáquio, rinofaringe) decorrentes de gripes, resfriados, rinite e sinusite.

Jeanne Oiticica, médica otorrinolaringologista e especialista em Otoneurologia, chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), explica que "o que acontece é que o ar presente dentro dos ouvidos não consegue ser trocado com o ar do ambiente por conta da obstrução. A pressão do ar retido e preso dentro do ouvido acaba gerando desconforto por distensão da membrana timpânica, em alguns casos pode haver dor associada".

Ela explica que a forma mais simples de evitar os ouvidos tampados é comer alguma coisa, mascar chicletes ou beber algum líquido para abrir a Tuba de Eustáquio (uma conexão interna entre o nariz e o ouvido). No caso de bebês, que costumam sofrer ainda mais com isso, dar mamadeira ou o peito pode resolver o incômodo. Além disso, dependendo do caso, sprays nasais e gotas otológicas podem ser prescritos para alívio de uma crise aguda na hora do voo.

Surdez transitória. Segundo a médica, quando parte da secreção retida nas vias aéreas superiores migra para os ouvidos durante o voo, pode ocorrer a chamada surdez transitória. A pessoa fica sem ouvir direito por alguns dias, o que causa a incômoda sensação de ouvido tampado, água no ouvido, pressão e dor.

Essa situação pode levar alguns dias até se normalizar, com a secreção secando e sendo drenada para fora do ouvido. Depois disso a audição normaliza. É sempre importante consultar um médico otorrinolaringologista nestes casos, pois algumas vezes pode ser necessário tratamento adicional, como exames de imagem e audiometria, sendo que uma avaliação mais detalhada acaba esclarecendo o diagnóstico final.