Saiba quanto custa praticar pilates em São Paulo

- O Estado de S.Paulo

Preço médio na capital para fazer aulas individuais uma vez por semana é de R$ 339,35

Exercício ajuda a melhorar a flexibilidade, emagrecer e fortalecer os músculos

Exercício ajuda a melhorar a flexibilidade, emagrecer e fortalecer os músculos Foto: Pixabay

O pilates é um exercício físico bastante recomendado para quem quer cuidar do corpo e não é fã das academias convencionais. As aulas ajudam a melhorar a flexibilidade, postura, o fortalecimento dos músculos e a emagrecer. No entanto, para praticar pilates é preciso investir uma quantia considerável por mês.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo NAMU, portal de cursos online voltado para qualidade de vida, para aulas individuais uma vez por semana, o preço médio em São Paulo é de R$ 339,35 e varia de acordo com a região da cidade. Caso a ideia seja fazer apenas uma aula por semana, a zona sul é a mais cara e o centro o lugar mais barato.

Depois de visitar 250 estúdios, 50 em cada região de São Paulo, a conclusão foi de que a zona oeste é a que possui o valor mais caro para praticar pilates individualmente três vezes por semana: a média é de R$ 854,53. O local mais barato é a zona norte, onde se paga, aproximadamente, R$ 754,70 por mês por três aulas semanais.

No centro da cidade, o valor médio é de R$ 760,10, na zona leste de R$ 784,36 e, na sul, de R$ 834,76.

Para quem não se importa em fazer aulas em grupo, o valor do pilates sai mais em conta. A média de uma aula por semana cai para R$ 254,64 na cidade, ou seja, 25% a menos do que um aluno que tem aulas individuais. 

Quando a frequência das aulas em grupo aumenta para três vezes por semana, o centro da cidade torna-se o lugar mais caro para a prática: R$ 538,51 por mês. A zona leste é a mais barata, com média mensal de R$ 386,76. Na zona norte o preço é de, aproximadamente, R$ 465,50, na sul de R$ 511,91 e na oeste de R$ 518,45.