Qual é a idade certa para a criança largar a chupeta?

Zé Enrico Teixeira - O Estado de S.Paulo

David Beckham foi criticado por permitir que sua filha de quatro anos faça uso do acessório; dentista recomenda que os pequenos larguem a chupeta até os dois anos de idade

No início desta semana, o ex-jogador de futebol britânico David Beckham foi criticado pelo jornal inglês Daily Mail após ser flagrado junto de sua filha Harper. O motivo da polêmica foi o fato de Harper, que tem quatro anos, estar usando uma chupeta. No mesmo dia, o craque, ídolo do Real Madrid e do Los Angeles Galaxy, respondeu usando o Instagram questionando o jornal e perguntando por que algumas pessoas se acham no direito de criticar pais pelo modo como criam seus filhos. O post já possui mais de 630 mil curtidas.

Apesar da reação do jogador e o amparo recebido por seus seguidores, o uso da chupeta é uma questão delicada que divide especialistas, muitos deles condenando o uso do acessório, principalmente por causa de seus reflexos na má formação dentária da criança, além de problemas que podem surgir na deglutição e na respiração.

Tereza Cristina Holtz, dentista especializada em pediatria pela Universidade de São Paulo (USP), explica que muitos malefícios podem vir do uso extensivo da chupeta, mas tudo depende de fatores como: se a criança usa chupeta o dia todo ou apenas para dormir; qual a sua idade e o tipo de chupeta (ou dedo). 

Para a dentista, seria ideal que a criança largasse a chupeta até os dois anos de idade. "Depois dos dois anos, pode trazer uma alteração irreversível, que trata-se como alteração de maloclusão, ou patológico", explica ela. "Depois disso fica bem complicado, precisa do uso de aparelho ortodôntico", continua.

Além do dentista, outros profissionais que podem se envolver na reabilitação de uma criança acostumada à chupeta são o fonoaudiólogo e o otorrinolaringologista, afinal os reflexos podem ser extensos, incluindo problemas de coluna, a forma como a criança caminha e posicionamento do pescoço até, ressalta a especialista. "É lógico que achar uma criança que apresente todos esses problemas é difícil, mas em todas as crianças que tem o hábito da chupeta verifica-se uma alteração", explica Tereza.

Todas essas alterações se dão devido ao fato dos ossos da criança ainda estarem moles quando ela é muito nova, além das mudanças que os músculos sofrem devido ao condicionamento exercido pela chupeta.

Mesmo com todas as críticas ao uso da chupeta, até o da anatômica (erroneamente chamada de ortodôntica, de acordo com Tereza), há muitos que defendem sua utilização, principalmente quando se trata de acalmar e relaxar o bebê. "Ou apenas confortá-lo num momento de mal-estar", como fez questão de frisar o pai dedicado, David Beckham.