Por que as doenças respiratórias são mais comuns no frio? 

Redação - O Estado de S.Paulo

Especialista esclarece dúvidas sobre o tema

“Aglomeração de pessoas e temperatura mais baixa com ar seco tendem a produzir uma queda na resposta de defesa do paciente”, afirma Fernando Lundgren, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumonia e Tisiologia, que também esclareceu outros pontos acerca do tema.
 

“Aglomeração de pessoas e temperatura mais baixa com ar seco tendem a produzir uma queda na resposta de defesa do paciente”, afirma Fernando Lundgren, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumonia e Tisiologia, que também esclareceu outros pontos acerca do tema.   Foto: gfhjkm123 / Pixabay

Parece intuitivo que, com a vinda do frio, as chances de contrair alguma doença respiratória são maiores. Mas, afinal, você já se perguntou quais são as razões para isso?

Segundo explica o otorrinolaringologista Alexandre Colombini, da clínica Fares, se deve ao fato de o tempo - exceto em dias de chuva - ficar mais seco, ainda mais se estivermos em uma região urbanizada e com pouca arborização. Assim, as partículas de poluentes e bactérias ficam mais dispersas pelo ar, e o risco de contaminação aumenta.

Aglomerações também favorecem a propagação de problemas respiratórios. "Nessas condições, se alguém tossir, não lavar a mão ou algo do tipo, acaba disseminando os vírus e as bactérias", afirma Colombini. Além dessa, entre as recomendações de Fernando Lundgren, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumonia e Tisiologia, estão lavar a mão com frequência e realizar vacinações periódicas.

Confira a seguir algumas dicas e informações dos especialistas sobre o assunto.