Pais, erroneamente, consideram saudáveis as bebidas com açúcar

Bruce Horovitz - O Estado de S.Paulo

'A descrição no rótulo da embalagem e o marketing desses produtos sugerem que eles são nutritivos', diz pesquisadora

Muitos pais acreditam que bebidas com grande quantidade de açúcar, particularmente sucos de frutas, bebidas esportivas e água aromatizada, são opções saudáveis para as crianças

Muitos pais acreditam que bebidas com grande quantidade de açúcar, particularmente sucos de frutas, bebidas esportivas e água aromatizada, são opções saudáveis para as crianças Foto: Chris Goldberg/ Creative Commons

Iludidas pelo marketing e pelos rótulos enganadores dos produtos, os pais não entenderam a mensagem de que bebidas doces, além dos refrigerantes, não são saudáveis para as crianças.

Esta é a conclusão de um novo estudo do Rudd Center for Food Policy on Obesity, da Universidade de Connecticut, publicado esta semana na revista Health Public Nutrition.

Muitos pais acreditam que bebidas com grande quantidade de açúcar, particularmente sucos de frutas, bebidas esportivas e água aromatizada, são opções saudáveis para as crianças, de acordo com o estudo financiado pela Robert Wood Johnson Foundation, dedicada a melhorar e cuidar da saúde. Não importa o fato de as mais recentes diretrizes dietéticas federais recomendarem a limitação de açúcar a 10% do total de calorias ingeridas.

"Embora os pais saibam que os refrigerantes não são bons para as crianças, muitos acreditam que as bebidas adocicadas são alternativas saudáveis", disse Jennifer Harris, que redigiu o estudo e é diretora de iniciativas de marketing no Rudd Center. "A descrição no rótulo da embalagem e o marketing desses produtos sugerem que eles são nutritivos e essa interpretação errônea explica porque tantos pais compram tais produtos".

Essas conclusões são divulgadas numa época particularmente difícil para o setor de bebidas, que vem observando um forte declínio nas vendas de refrigerantes diet nos últimos anos. Com a queda, as fabricantes voltam-se cada vez mais para o setor de águas, água aromatizada, sucos, bebidas esportivas e até produtos à base de leite.

Membros da American Beverage Association criticaram vigorosamente o estudo. "Este é o mais recente estudo que parte de uma instituição que tem uma longa história de censurar duramente as bebidas, debilitando a capacidade dos pais de decidirem por si próprios", disse Christopher Gindlesperger, diretor a área de relações públicas da associação.

Segundo Gindlesperger, como setor, "oferecemos informações factuais, claras em todas as nossas embalagens e vamos além das exigências do governo fazendo todo o possível para que os pais tenham as informações que necessitam para escolher o que é o melhor para eles e sua família. Não há nada de errado em beber uma bebida esportiva, ou um refrigerante ou um suco. Tudo tem a ver com moderação e equilíbrio. E os pais têm".

A vasta maioria de pais dá aos filhos bebidas com açúcar regularmente. Cerca de 96% afirmaram ter oferecido bebidas adocicadas para os filhos no mês anterior ao estudo. As bebidas mais comuns são sucos de frutas, oferecidos por 77% no mês passado. Cerca de 80% de pais com filhos entre dois e cinco anos de idade ofereceram bebidas à base de frutas, como Capri Sun ou Sunny D.

Também importante é o fato de que metade dos entrevistados classificaram as águas aromatizadas como saudáveis e mais de um quarto considerou as bebidas à base de frutas e as esportivas saudáveis também. Pais afro-americanos e hispânicos têm mais tendência, em comparação com os brancos, a classificar algumas bebidas doces como saudáveis, segundo o estudo.

Além disso, eles são particularmente influenciados pelas informações nutricionais que aparecem nas embalagens - como por exemplo, se o produto é "real", "natural", ou contém Vitamina C, antioxidantes ou tem pouco sódio, ou é de baixa caloria.

Segundo Marlene Schwartz, autora do estudo, por isso é necessário aumentar a atenção no caso dos ingredientes informados na embalagem de um produto "e outras ferramentas de marketing que podem levar os pais a acreditarem erroneamente que algumas bebidas com açúcar são alternativas saudáveis para as crianças".

Tradução de Terezinha Martino