Movidos pela música

- O Estado de S.Paulo

Ela funciona como uma catalisador de atividades e exerce papel fundamental na hora de turbinar os treinos ou para ajudar a relaxar

Psiquiatra revela que a música tem se tornado um catalisador das nossas atividades

Psiquiatra revela que a música tem se tornado um catalisador das nossas atividades Foto: Divulgação

O fone de ouvido é uniforme obrigatório para a maioria dos praticantes de atividades físicas hoje em dia. A música exerce papel fundamental na hora de turbinar os treinos ou para ajudar a relaxar.

 

"Ela tem sido cada vez mais estudada pelo poder que exerce em nosso cérebro", revela o psiquiatra Daniel de Barros. "Neurocientistas, psicólogos, estudiosos da neuroimagem, todos têm cada vez mais se voltado para tentar compreender como a música tem se tornado um catalisador das nossas atividades", afirma.

 

Em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão, o psiquiatra citou estudos que apontam que a música estimula algumas áreas do cérebro, aumentando o fluxo sanguíneo cerebral. E não para por aí: "um outro grupo de pesquisa reuniu 360 estudos sobre musicoterapia e constatou que pacientes com câncer submetidos a alguma estimulação musical apresentam menos sintomas de depressão, menos dores, menos cansaço e menos ansiedade. O resultado é bastante significativo", garante Barros.

 

Mas, qual é o tipo de música mais adequado para a prática esportiva?

 

Segundo Daniel de Barros a música ideal é aquela que a pessoa gosta. "Os resultados foram mais interessantes quando o paciente escolhia o que ouvir. Isso tem a ver com o quanto a pessoa tem prazer e estímulo com a música que a pessoa está ouvindo", afirma.

 

Inspiração. Hoje em dia já é possível até adequar o ritmo da música aos dos execícios. Alguns aplicativos para smartphones disponíveis no mercado dão uma forcinha para quem gosta de treinar tendo a música como inspiração. O Rockmyrun permite escolher entre as diversas mixagens existentes - selecionadas por diferentes batidas por minuto - e combiná-las com a intensidade do exercício.

 

Já o PaceDJ escaneia os arquivos de música do próprio usuário e faz um resumo das batidas por minuto de cada uma delas. Além disso, mede o ritmo da corrida ou caminhada que está sendo realizada e recomenda a frequência mais adequada.

 

Para os antenados em excesso, que não deixam de teclar nem mesmo quando estão se exercitando, existe o Type And Walk, que mostra na tela o caminho percorrido pela câmara do celular.

 

Confira essas dicas no vídeo abaixo: