Mistura que não combina: o álcool e a saúde dos músculos

- O Estado de S.Paulo

Além de danificar o equilíbrio e a coordenação, o álcool prejudica a força, potencia e resistência muscular e a resistência aeróbica

Em eventos como a Copa do Mundo e as festas juninas, é normal que se consuma mais álcool. O impacto que esse 'exagero' produz no sistema nervoso central já é bem conhecido dos amantes de um bom copo: falta de equilíbrio e de coordenação. Mas, qual é o impacto nos nossos músculos?

De acordo com a nutricionista Ângela Martins, o consumo de álcool além de causar danos no nosso equilíbrio e coordenação motora, também prejudica nossa força, nosso potencia muscular, resistência muscular e resistência aeróbica. "Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas pode dar uma sensação de hipoglicemia durante a atividade física, caso o praticante não tenha ingerido uma quantidade adequada de carboidrato antes dos exercícios", alerta.

Em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão, a nutricionista esclarece que esse quadro se aplica a quem, geralmente, ingere o álcool e pouco tempo depois vai se exercitar. "A recomendação é que a ingestão de bebidas alcoólicas se dê em torno de 72 horas antes e, no mínimo, 24 horas depois da atividade, para não prejudicar tanto a performance e nem o desempenho durante a prática.

Angela explica ainda que é muito equivocado pensar que trocar a bebida pela comida ou evitar consumir alimentos durante a ingestão de álcool contribui para o emagrecimento. "O álcool por si só já tem calorias. Cada grama de álcool tem cerca de 7 calorias. Então, a pessoa que não consome carboidrato e bebe tem uma falsa sensação de que não está ingerindo calorias, mas está sim, e ainda corre o risco de engordar com isso", justifica.

Isso ocorre porque, além da caloria vazia do álcool - que não fornece nenhum benefício nutricional para o organismo - essa bebida não será transformada em glicose. O álcool será transformado em ácido graxo e, possivelmente, ficará acumulado como gordura em nosso corpo. "Se a pessoa não ingere carboidrato, ingere bebida alcoólica, e ainda pratica atividade física, além de começar a perder energia durante o exercício, vai diminuir o desempenho e começar a gastar proteína do músculo para gerar energia. Com isso, perde massa muscular ao invés de ganhar", revela.

Esse quadro é muito comum nas 'peladas entre amigos', quando bebida e futebol andam juntinhos. Ângela explica que casos assim são muito perigosos. "Além da pessoa correr o risco de ter uma hipoglicemia, uma queda de pressão devido a  não ter energia em forma de calorias, de carboidrato, para  a prática de atividade física, ela ainda pode ter uma desidratação".

O corpo desidrata porque o álcool tem função diurética no organismo. Quanto mais se ingere, mais será eliminado. E com essa eliminação por meio da urina vão-se embora também eletrólitos importantes para a manutenção da nossa saúde, como o sódio e o potássio. Daí o risco da desidratação.