Marcelo Rezende revela ter câncer no pâncreas; saiba como identificar a doença

Redação - O Estado de S.Paulo

Segundo o Instituto Nacional de Câncer, a enfermidade é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer

Apresentador revelou que está com câncer no pâncreas e no fígado

Apresentador revelou que está com câncer no pâncreas e no fígado Foto: Paulo Liebert/Estadão

No último domingo, 14, Marcelo Rezende revelou estar com câncer no pâncreas e no fígado. Além do apresentador, o fundador da Apple, Steve Jobs, sofreu com a mesma doença e morreu sete anos após o diagnóstico.

Oito em dez casos do câncer de pâncreas são diagnosticados apenas na fase mais avançada. Isso acontece por conta da associação tardia dos sintomas com a possível presença do tumor. Os principais fatores de risco da doença são emagrecimento, perda de apetite, alterações do açúcar no sangue, dor abdominal e coloração amarelada da pele.

 

Há evidências da relação direta do consumo de cigarro com a ocorrência do câncer. Segundo Felipe José Fernandez Coimbra, cirurgião oncologista e diretor do Departamento de Cirurgia Abdominal do A.C Camargo Cancer Center, os fumantes têm o risco aumentado de duas a seis vezes em relação aos não-fumantes. A hereditariedade é também um fator que deve ser considerado.

Um dos principais métodos de diagnóstico da doença é o exame de sangue que investiga a elevação de um marcador tumoral. No entanto, esta elevação não confirma a presença do tumor no pâncreas, pois outras doenças ou tumores podem levar a essa alteração. A tomografia computadorizada de abdômen, quando indicada por um médico, pode ser realizada para identificação da doença. 

Tratamento. O sucesso no tratamento do câncer está diretamente ligado ao diagnóstico precoce, além da correta avaliação e retirada do tumor. Os pacientes submetidos à cirurgia devem ser tratados com quimioterapia para que, assim, as células cancerígenas que ainda estão vivas sejam destruídas.

Consultoria: A.C.Camargo Cancer Center