Jet lag e remédios que alteram hormônios podem causar ganho de peso, diz estudo

Redação - O Estado de S.Paulo

Estudo da Universidade de Stanford mostra que mudanças no ciclo circadiano, que controla os hormônios, pode aumentar a presença de células de gordura

Ganho de peso após tomar alguns remédios ou mudar horário de dormir e acordar? Tem explicação científica.

Ganho de peso após tomar alguns remédios ou mudar horário de dormir e acordar? Tem explicação científica. Foto: Pixabay

Você sente muita dificuldade em mudar o horário de dormir ou de acordar? E sofre muito com o jet-lag? E sente alterações após tomar alguns tipos de remédios? Pois saiba que as mudanças abruptas no nosso relógio biológico, chamado de ciclo circadiano, podem realmente causar efeitos indesejados – de acordo com um novo estudo da Universidade de Stanford, até ganho de peso.

O ciclo circadiano é um ciclo de 24 horas, controlado pela queda e crescimento de diversos hormônios, que definem ciclos de sono e humor, por exemplo. Um desses hormônios é o glicocorticoide, que está presente em alguns medicamentos, como o cortisol. Ele é um dos hormônios que dão sinais para o corpo acordar, diz Mary Teruel, autora do estudo e professora do setor de sistemas biológicos da instituição à ABC News.

Mas o ciclo também pode ser influenciado pelos glucocorticóides liberados em nossa corrente sanguínea por meio de outras vias, como medicamentos, aumento dos níveis de estresse e grandes mudanças psicológicos e emocionais. Os pesquisadores de Stanford então se questionaram se a desrupção do ciclo pode causar alterações no peso.

Os autores do estudo implantaram esferas em ratos que liberavam um dose baixa e contínua de esteróide a fim de interromper o ciclo circadiano. A esfera imitou a ruptura completa, do tipo que acontece por causa de "estresse, medicamentos e jet lag", disse Teruel.

Em seguida, o estudo analisou injeções de esteróides, coincidindo com o ciclo circadiano comum, dando aos camundongos esteróides com os chamados picos 40 vezes maiores do que os níveis típicos experimentados, mas durante todo o dia, momentos em que esses picos podem ocorrer naturalmente.

As descobertas foram interessantes: os camundongos que receberam o esteróide continuamente tinham mais celulas adiposas, já os camundongos do segundo grupo não  –  o que significa que os ratos cujo ritmo circadiano foi perturbado ganharam peso; já aqueles que tiveram 'picos' severos durante o dia, não.

Terual disse que esse estudo "mostra que nossas células de gordura sentem se estamos no nosso ritmo circadiano". A disrupção desse ritmo, seja por hormônios de estresse ou por medicações, resultam no aumento da obesidade. "É tudo sobre timing", ela diz, dizendo que os resultados podem ajudar médicos a descobrir maneiras de receitar medicamentos envolvendo esteródides para seus pacientes de forma que eles não ganhem peso.

"A gente ainda pode tratar nas janelas de tempo corretas sem causar obesidade?", Teruel questiona. É importante ressaltar que esse experimento foi feita com ratos e estudos adicionais precisam ser feitos para entender os efeitos das rupturas no ciclo circadiano em humanos.