Introdução alimentar adequada fortalece o bebê e previne infecções

Ludimila Honorato - O Estado de S.Paulo

Nutricionista indica o que oferecer para a criança, quais alimentos evitar e como preparar e armazenar a papinha

Introdução alimentar adequada promove hábitos saudáveis, evita alergias, obesidade infantil e infecções.

Introdução alimentar adequada promove hábitos saudáveis, evita alergias, obesidade infantil e infecções. Foto: Pixabay

Começar a oferecer outros alimentos para os bebês além do leite materno pode gerar algumas dúvidas. É preciso cuidado para que a introdução alimentar seja feita adequadamente a fim de promover uma nutrição saudável e evitar alergias ou obesidade infantil.

O E+ conversou com a nutricionista Kelcey Teixeira, do Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim (Cejam), para dar dicas de como a introdução alimentar deve ser feita, quais alimentos escolher e quais evitar.

A especialista integra a equipe do Grupo da Papinha, ação promovida mensalmente na UBS Jardim São Bento. A reunião recebe mães que serão orientadas sobre a melhor forma de introduzir outros alimentos na rotina do bebê e promover hábitos saudáveis desde a primeira infância.

A recomendação mais importante é que os novos alimentos nunca devem ser oferecidos antes do sexto mês de vida do bebê. Até esse período, ele deve se alimentar exclusivamente com leite materno, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Depois disso, a mãe é orientada a continuar amamentando por dois anos ou mais, e os alimentos serão complementares ao aleitamento. "Isso estará fornecendo mais energia, vai fortalecer o ganho de peso, o crescimento e prevenir infecções", diz a especialista.

A partir do momento que a criança ingere alimentos que não sejam o leite materno, é importante o consumo de água para facilitar a digestão e evitar constipação.

Confira na galeria abaixo como a introdução alimentar deve ser feita e dicas de preparação de papinhas: